Adolescentes – Lição 02: Obedeça aos pais (DINÂMICA)

0
Professoras e professores, observem estas orientações:

1 – Antes de abordar o tema da aula, é interessante que vocês mantenham uma conversa informal e rápida com os alunos:
– Cumprimentem os alunos.
– Perguntem como passaram a semana.
– Escutem atentamente o que eles falam.
– Observem se há alguém necessitando de uma conversa e/ou oração.
– Verifiquem se há alunos novatos e/ou visitantes e apresentem cada um.

2 – Este momento não é uma mera formalidade, mas uma necessidade. Ao escutá-los, vocês estão criando vínculo com os alunos, eles entendem que vocês também se importam com eles.

3 – Após a chamada, solicitem ao secretário da classe a relação dos alunos ausentes e procurem manter contato com eles durante a semana, através de telefone ou e-mail.
Os alunos se sentirão queridos, cuidados, perceberão que vocês sentem falta deles. Dessa forma, vocês estarão estabelecendo vínculos afetivos com seus alunos.

4 – Escolham um momento da aula, para mencionar os nomes dos alunos aniversariantes, parabenizando-os, dando-lhes um abraço, oferecendo um versículo.

5 – Fazendo o que foi exposto acima, somando-se a um professor motivado, associada a uma boa preparação de aula, com participação dos alunos, vocês terão bons resultados! Experimentem!

6 – A lição de hoje tem como tema a obediência aos pais – um dos conselhos de Salomão para os jovens.
– Reflitam com os alunos sobre a importância das normas e regras nos mais variados aspectos e lugares: em casa, na Igreja, na escola, no trânsito etc.
– Depois, trabalhem o conteúdo proposto na lição, buscando sempre a participação dos alunos. Para exemplificar o tema, contem a história contida no texto “Uma Nova Chance”, postado abaixo.
– Para concluir a aula, utilizem a dinâmica “Coma o Chocolate”.
Tenham uma excelente e produtiva aula!

Dinâmica: Coma o Chocolate!
Objetivo: Refletir de forma prazerosa os resultados da obediência.

Material:
01 caixa com tampa
 01 chocolate
 Fita adesiva para fixar o chocolate dentro da caixa
A Expressão digitada “Coma o chocolate”. Este papel deverá ser colocado dentro da caixa, encobrindo o chocolate.

Procedimento:
– Organizem os alunos em círculo.
Observação: O nome da dinâmica não deve ser mencionada para os alunos, pois perderá toda a surpresa e expectativa.
– Apresentem a caixa e falem: Dentro desta caixa tem uma ordem a ser cumprida por apenas uma pessoa, sem reclamações e sem ajuda dos colegas.
– Continuem falando: Esta caixa vai passar de mão em mão, ao sinal de um comando ou quando a música começar. Ao sinal do comando (bater palma, palavra pare) ou música parar, quem estiver com a caixa na mão, deverá obedecer a orientação ou ordem contida dentro da caixa.
– Então, comecem o procedimento conforme já descrito acima. Perguntem para o aluno que ficou com a caixa: E aí, vai abrir? Ou quer que continue?
– Façam este procedimento pelo menos 3 vezes. Na última vez, vocês falam: agora não tem jeito, quem ficar com a caixa, vai ter que abri-la e obedecer a ordem ali contida.
– O aluno abrirá a caixa e encontrará a seguinte ordem: “Coma o Chocolate”.
Observação: O aluno deverá comer o chocolate, salvo havendo restrições médicas, como por exemplo, diabéticos…
– Falem: O resultado da obediência em abrir a caixa foi ganhar e saborear um delicioso chocolate. Quando obedecemos a Deus, recebemos muitas bênçãos.

Ideia original desconhecida.
Dinâmica adaptada por Sulamita Macedo.

Texto de Reflexão: Uma Nova Chance

Havia um homem muito rico, possuía muitos bens, uma grande fazenda, muito gado e vários empregados a seu serviço.
Tinha ele um único filho, um único herdeiro, que, ao contrário do pai, não gostava de trabalho nem de compromissos. O que ele mais gostava era de festas, estar com seus amigos e de ser bajulado por eles. Seu pai o advertia que seus amigos só estavam ao seu lado, enquanto ele tivesse o que lhe oferecer, depois o abandonariam. Os insistentes conselhos do pai retiniam os ouvidos e logo se ausentava sem dar o mínimo de atenção.
Um dia o velho pai, já avançado na idade, disse aos seus empregados para construírem um pequeno celeiro e dentro dele uma forca, e junto a ela uma placa com os dizeres: “Para você nunca mais desprezar as palavras de seu pai”.
Mais tarde chamou o filho, o levou até o celeiro e disse: “Meu filho quando eu partir, você tomará conta de tudo o que é meu e sei qual será o seu futuro. Você vai deixar a fazenda nas mãos dos empregados e irá gastar todo dinheiro com seus amigos, irá vender os animais e os bens para se sustentar e quando não tiver mais dinheiro, seus amigos irão se afastar de você. E quando você não tiver mais nada, vai se arrepender amargamente de não ter me dado ouvidos. É por isso que eu construí essa forca, sim, ela é para você, e eu quero que me prometa que se acontecer o que eu disse, você se enforcará nela.”
O jovem riu, achou absurdo, mas, para não contrariar o pai, prometeu e pensou que jamais isso pudesse ocorrer. O tempo passou, o pai morreu e seu filho tomou conta de tudo, mas assim como se havia previsto, o jovem gastou tudo, vendeu os bens, perdeu os amigos e a própria dignidade. Desesperado e aflito, começou a refletir sobre sua vida e viu que havia sido um tolo, lembrou-se do seu pai e começou a chorar e dizer: “Ah, meu pai, se eu tivesse ouvido os teus conselhos, mas agora é tarde, é tarde, é tarde demais”.
Pesaroso, o jovem levantou os olhos e avistou o pequeno celeiro, era a única coisa que lhe restava. A passos lentos se dirigiu até lá e, entrando, viu a forca e a placa empoeirada e disse:”Eu nunca segui os conselhos do meu pai, não pude alegrá-lo quando estava vivo, mas pelo menos, desta vez vou fazer a vontade dele, vou cumprir minha promessa, não me resta mais nada”.
Então subiu nos degraus e colocou a corda no pescoço, e disse:
– “Ah se eu tivesse uma nova chance…” Então pulou, sentiu a corda por um instante apertar sua garganta, mas o braço da forca era oco e quebrou-se facilmente, o rapaz caiu no chão, e sobre ele caíram jóias, esmeraldas, pérolas, diamantes; a forca estava cheia de pedras preciosas, e um bilhete que dizia: “Essa é sua nova chance, eu te amo muito”. Seu pai.


Autoria Desconhecida.

Deixe uma resposta! Seu comentário é relevante!