EBD Em Foco

Doze faculdades capixabas entre as 100 melhores do país

0 36
Estado também teve dez instituições entre as que não tiveram conceito satisfatório.
Aula de pós-graduação na Fucape: faculdade está entre as 10 melhores do país
Aula de pós-graduação na Fucape: faculdade está entre as 10 melhores do país Foto: Arquivo

O Espírito Santo tem 12 faculdades entre as 100 melhores do Brasil se levados em consideração os dados do Índice Geral de Cursos (IGC), divulgado na semana passada pelo Ministério da Educação (MEC).

O IGC, que vai de 1 a 5, é composto de quesitos como nota no Enade e avaliações de corpo docente, infraestrutura e recursos didático-pedagógicos. Em 2015 – a quando se referem os dados divulgados este ano – foram avaliados cursos de ciências sociais aplicadas, ciências humanas e áreas afins, como administração, ciências contábeis, jornalismo, entre outros.

Entre as faculdades capixabas, a melhor nota foi a da Fucape, única a obter o conceito 5 na avaliação. O diretor da instituição, Valcemiro Nossa, ressalta que há seis anos a Fucape fica entre as 10 melhores do país. Ele elenca os quatro pontos-chave para o sucesso. “O primeiro é a boa formação do corpo docente. Outro é o investimento em pesquisas, o terceiro é o bom relacionamento da instituição com o mercado e por último, o relacionamento internacional, formamos executivos com visão de mundo”.

Leia também

– Dez faculdades do ES entram na lista do MEC como as piores do Brasil

Outro destaque foi a Multivix que teve suas faculdades de Castelo, Vitória e Nova Venécia entre as 50 melhores. Resultado que para o diretor executivo do Grupo Multivix, Tadeu Penina, é motivo de orgulho.

“Temos professores altamente qualificados, pois acreditamos que os nossos alunos podem se transformar nos melhores profissionais do mercado de trabalho. A Multivix acredita na excelência como a filosofia principal da educação”.

Melhores e piores faculdades capixabas
Melhores e piores faculdades capixabas Foto: A Gazeta

Nota baixa

Na outra ponta, 10 faculdades do Espírito Santo foram avaliadas como insatisfatórias – ou seja, tiveram notas 1 e 2.

O mau desempenho pode gerar punições como, por exemplo, a proibição de novos vestibulares.

Das faculdades com conceito insatisfatório, a única que respondeu até o fechamento desta reportagem foi a Fames. Em nota, informa que obteve, na última avaliação realizada pelo Inep/MEC, a 42ª colocação dentre os 89 cursos de música avaliados em todo o território nacional, e a 40ª colocação na prova do Enade.

Disse ainda que tem praticado, periodicamente, a Avaliação Institucional Interna e os cursos têm sido bem avaliados pelos alunos, no que diz respeito aos projetos pedagógicos e não tem medido esforços para melhorar a qualidade de seu ensino de graduação e a sua infraestrutura. A Fames afirma que vai investir cerca de R$ 500 mil em obras até o fim do ano.

Análise

Melhores são mais focadas

Tendo em vista os eixos de conteúdo avaliados pelo Inep, de uma forma geral as instituições mais bem avaliadas se destacam pela qualidade da infraestrutura, como salas de aula, bibliotecas e laboratórios. Mas também são considerados aspectos como o projeto pedagógico e o corpo docente, além da avaliação dos estudantes no Enade. Tais instituições trabalham no sentido mais estrito da formação dos egressos. Elas organizam uma gestão voltada para áreas específicas, sendo mais bem sucedidas.

Já as instituições de menor desempenho são precárias e não dão conta de garantir o mínimo de formação. Via de regra elas estão no interior. É uma equação difícil, pois educação de qualidade custa caro e, se cobram um preço maior, a população não é capaz de pagar. Nesses casos, o projeto pedagógico também é muito fraco. Os professores não são nem contratados por jornada, são prestadores de serviços.

Itamar Mendes da Silva professor do Centro de Educação da Ufes

Ufes é a 50ª melhor do Brasil

Ufes teve conceito 3 na avaliação feita pelo MEC
Ufes teve conceito 3 na avaliação feita pelo MEC – Foto: Divulgação

Entre as universidades que tiveram o Índice Geral de Cursos (IGC) divulgado pelo MEC, a Ufes ficou na 50ª posição no país, com IGC na faixa 3. Ao todo foram 231 universidades entre públicas e privadas, além de institutos federais avaliados. Essas instituições não aparecem na mesma classificação das faculdades.

Já a Universidade Vila Velha (UVV) também está entre as 100 melhores, na 68ª colocação. O Ifes ficou na posição 110.

Na outra categoria, a dos centros universitários, os dois existentes no Estado – São Camilo (Cachoeiro) e Unesc – ficaram na 56ª e na 98ª posição, respectivamente.

Fonte: Gazeta Online

 

Comentários
Loading...
%d blogueiros gostam disto: