Jovens e Adultos: Lição 02: Advertências contra o adultério – Aula Dinâmica

0
Professoras e professores, observem estas orientações:

1 – Antes de abordar o tema da aula, é interessante que vocês mantenham uma conversa informal e rápida com os alunos:
– Cumprimentem os alunos.
– Perguntem como passaram a semana.
– Escutem atentamente o que eles falam.
– Observem se há alguém necessitando de uma conversa e/ou oração.
– Verifiquem se há alunos novatos e/ou visitantes e apresentem cada um.

2 – Este momento não é uma mera formalidade, mas uma necessidade. Ao escutá-los, vocês estão criando vínculo com os alunos, eles entendem que vocês também se importam com eles.

3 – Após a chamada, solicitem ao secretário da classe a relação dos alunos ausentes e procurem manter contato com eles durante a semana, através de telefone ou email.
Os alunos se sentirão queridos, cuidados, perceberão que vocês sentem falta deles. Dessa forma, vocês estarão estabelecendo vínculos afetivos com seus alunos.

4 – Escolham um momento da aula, para mencionar os nomes dos alunos aniversariantes, parabenizando-os, dando-lhes um abraço, oferecendo um versículo.

5 – Fazendo o que foi exposto acima, somando-se a um professor motivado, associada a uma boa preparação de aula, com participação dos alunos, vocês terão bons resultados! Experimentem!

6 – Agora, vocês iniciam o estudo da lição
– Falem: A lição de hoje tem como título “Advertências contra o adultério”.
– Introduzam o estudo da lição com a dinâmica “A Cisterna”.
– Depois, trabalhem o conteúdo proposto na lição, buscando sempre a participação dos alunos e contextualizem o tema para o tipo de aluno que vocês ensinam.
Nas classes dos não casados, vocês devem relacionar o tema com afidelidade que deve existir entre os namorados e/ou noivos.
– Para concluir a aula, coloquem no quadro a seguinte frase:  
O relacionamento é bom quando é a três.
Observem a reação dos alunos e depois completem a frase: o homem, a mulher e Deus.
O relacionamento é bom quando é a três: o homem, a mulher e Deus.
Tenham uma excelente e produtiva aula!

Texto Pedagógico
Método de Divisão em Grupos nas aulas da EBD
            O Método de Divisão em grupos, como o próprio nome sugere, consiste na divisão da totalidade dos alunos em pequenos grupos, com objetivos definidos para estudo de um tema ou uma atividade, sob a orientação de um professor ou um líder, com apresentação de resultados.
         Este método possibilita a participação, a comunicação, estimula atroca de ideias, pessoas tímidas se sentem mais encorajadas para falar e propicia a capacidade de liderança.
            Alguns cuidados na utilização deste método precisam ser observados, como: o assunto principal pode ser desviado, daí a necessidade de uma liderança firme e habilidosa; há ainda, a possibilidade de uma pessoa dominar a discussão, deixando de lado os demais componentes sem participação; quando não há conhecimento do tema, as contribuições dos grupos podem ser limitadas, dessa forma é interessante uma boa orientação do professor para este tipo de trabalho.         
         Os desafios para a utilização deste método, nas aulas da Escola Dominical, aparecem devido a estrutura da EBD, na qual a maioria das aulas acontecem dentro do templo e  a organização das classes é feita por agrupamento em bancos de madeira, pesados e difíceis de serem arrastados. Mesmo assim, há formas de fazê-lo, veja quais as possibilidades:
– Dividir a turma por proximidade, isto é, os grupos são formados por alunos que estão próximos, sem mexer nos bancos etc.
– Solicitar o uso de uma sala ou outro espaço que porventura a igreja disponibilize para aulas da EBD; então, é interessante um agendamento prévio com o superintendente, para que seja reservado este ambiente, como também realizar a permuta de local, caso alguma turma utilize costumeiramente aquele espaço.
            Durante o trabalho em grupo é interessante, que o professor passe em cada grupo, tirando dúvidas e observando o direcionamento da atividade. Dividir os alunos em grupos não significa momento de descanso para o professor, a atenção deve ser redobrada, tanto no momento da atividade em si, como na apresentação.
No momento da apresentação, permaneça diante da turma, ao lado dos alunos de cada grupo. Dessa forma, você estará dando suporte emocional aos que estão nervosos e sendo assim eles se sentirão mais seguros. Observe o que está sendo dito, acrescente outras informações e corrija se necessário.
Geralmente, quando o professor pede que formem grupos, a tendência natural é que os alunos se agrupem com aqueles que mais conversam e têm mais interação. Mas, a divisão dos alunos pode ser feita de forma criativa, dependendo do que você deseja alcançar; se você procura também promover socialização, veja algumas dicas:
– Distribua recortes de cartolina de cores diferentes de acordo com o número de grupos que você deseja formar; observe a quantidade de alunos, veja a quantidade de grupos que podem ser formados e o número de elementos do grupo, separe a quantidade de cores; distribua aleatoriamente e solicite que os alunos se grupem pela cor.
            – Há ainda uma variação, usando cores diferentes: colocar o pedaço de cartolina colorida nas costas dos alunos, com fita adesiva, sem que eles vejam a cor. Depois, peça para que se agrupem de acordo com a cor que está nas costas. A princípio, eles vão estranhar, pois não estão vendo sua cor, mas observem as saídas que eles encontrarão, sempre tem alguém que toma a iniciativa e pergunta qual a cor que ele tem nas costas e também coopera com o colega falando a cor dele. Então, o agrupamento acontecerá através do ato colaborativo entre eles.
            – Outra maneira de dividir os alunos em grupos é feita com a utilização de números, que podem ser distribuídos para os alunos para que formem grupos que tenham a mesma numeração ou, ainda, colocar o número nas costas, tendo o mesmo procedimento já descrito no parágrafo anterior.
            – Utilizar quebra-cabeças para dividir os alunos em grupos também é possível; para isto, escolha figuras, cole numa cartolina e no verso trace linhas para formar o quebra-cabeça e recorte; a quantidade de peças do quebra-cabeça dependerá da quantidade de componentes que você deseja para cada grupo. Antes de formar os grupos, misture as peças de todos os quebra-cabeças e oriente os alunos para que procurem outros colegas que tenham peças referentes a uma mesma figura e monte o quebra-cabeça.
Após a organização dos grupos, perguntem aos alunos o que acharam da forma para a divisão deles em grupos, reflita sobre a importância da integração entre eles e comece a atividade proposta. É interessante ter controle sobre o tempo da atividade, então estipule o tempo que durará a tarefa e no processo fiquem lembrando aos alunos sobre o tempo já decorrido ou o que ainda dispõem.
Para o resultado da atividade grupal, o tempo também deve ser bem controlado. Há diferentes formas de apresentação, podendo ser escolhida apenas uma pessoa do grupo para isto, ou todos do grupo apresentam uma parte, com uso apenas da voz ou com algum material disponibilizado(cartolina, pincel atômico etc) ou se deixar a critério deles, formas criativas vão aparecer, como esquete, música, poema, mímica etc.
Agregar o método de Divisão em grupos à aula expositiva é uma forma de dinamizar o ensino e proporcionar a participação dos discentes no processo de aprendizagem. Utilizá-lo na EBD é possível, observe e coloque em prática as orientações aqui expostas.
Por Sulamita Macedo.



Dinâmica: A Cisterna

Objetivo:
Refletir sobre os cuidados que o casal deve ter para que não haja brechas para cometer  adultério.

Material:
Copo descartável para cada aluno
Água potável(limpa para beber)
Água “suja”(colocar algo para sujar a água)
01 copo descartável com rachaduras
01 saco de lixo

Procedimento:
– Entreguem um copo descartável, para cada aluno, com água limpa para beber.
– Depois, leiam:
“Bebe água da tua cisterna e das correntes do teu poço” Pv 5.15
– Falem: Faz de conta que este copo representa uma cisterna. Para tomar da água desta cisterna, devemos observar se água está limpa.
Peçam para que eles observem a qualidade da água, a cor, o cheiro…
– Agora, peçam para que tomem da água.
– Reflitam sobre: Como podemos conservar a qualidade da água.
A fonte da água deve ser boa: temos em Jesus a fonte de água viva, não podemos rejeitá-lo.
– Agora, coloquem água suja dentro de um copo descartável.
– Falem: Observem esta água. Ela está suja. O que fazer para que isto não aconteça?
Manter a cisterna fechada para que não entre impurezas: o cristão deve observar a introdução de coisas erradas na sua vida, que maculem sua vida conjugal e comunhão com Deus.
– Apresentem um copo descartável com vazamento e coloquem água(não falem para os alunos que o copo tem rachaduras).
– Perguntem: Mas o que está acontecendo?
– Agora, leiam:
“O meu povo cometeu dois crimes: eles me abandonaram, a mim, a fonte de água viva; e cavaram as suas próprias cisternas, cisternas rachadas que não retêm água”. Jr 2.13
– Falem:
Se não há água limpa e cuidados com a cisterna, com certeza há a tendência de procurar em outra fonte. Dessa forma, isto pode representar no casamento o desejo de procurar outras fontes. Daí, a necessidade dos cônjuges cuidarem da cisterna e da água, para que não haja brechas para o adultério.
– Recolham os copos descartáveis e coloquem no saco de lixo.
– Agora, trabalhem os pontos levantados na lição, sempre de forma participativa.


Por Sulamita Macedo.

Deixe uma resposta! Seu comentário é relevante!