Jovens e Adultos: Lição 08: O Cuidado com a Língua (Dinâmica)

0
Professoras e professores, observem estas orientações:
1 – Antes de abordar o tema da aula, é interessante que vocês mantenham uma conversa informal e rápida com os alunos:
– Cumprimentem os alunos.
– Perguntem como passaram a semana.
– Escutem atentamente o que eles falam.
– Observem se há alguém necessitando de uma conversa e/ou oração.
– Verifiquem se há alunos novatos e/ou visitantes e apresentem cada um.

2 – Este momento não é uma mera formalidade, mas uma necessidade. Ao escutá-los, vocês estão criando vínculo com os alunos, eles entendem que vocês também se importam com eles.

3 – Após a chamada, solicitem ao secretário da classe a relação dos alunos ausentes e procurem manter contato com eles durante a semana, através de telefone ou e-mail.
Os alunos se sentirão queridos, cuidados, perceberão que vocês sentem falta deles. Dessa forma, vocês estarão estabelecendo vínculos afetivos com seus alunos.

4 – Escolham um momento da aula, para mencionar os nomes dos alunos aniversariantes, parabenizando-os, dando-lhes um abraço, oferecendo um versículo.

5 – Fazendo o que foi exposto acima, somando-se a um professor motivado, associada a uma boa preparação de aula, com participação dos alunos, vocês terão bons resultados! Experimentem!

6 – Agora, iniciem o estudo da lição. Observem as seguintes sugestões:
– Falem que o tema da aula é sobre o cuidado que devemos ter com a língua, isto é, com aquilo que falamos.
– Dividam a turma em duplas ou trios, distribuam um provérbio abaixo para cada grupo, peçam para que eles leiam e pensem sobre seu significado. Depois, eles devem, diante da turma, ler o provérbio e falar o que entendem sobre ele.
“Quando morrer o corpo vai num caixão, a língua num caminhão”.
“Fulano tem coceira na língua”.
“Boca fechada não entra mosca”.
“Quem muito fala, muito erra”.
“O tolo calado passa por sábio”.
“A boca fala do que o coração está cheio”.
“Quem conta um conto, aumenta um ponto”.
“Quem muito fala, dá bom dia a cavalo”.
– Coloquem no quadro as seguintes figuras:
Freio de cavalo
Leme de navio
Fogo
Veneno
Fonte
Árvore: Oliveira e Figueira
– Falem: Tiago nos alerta quanto ao uso da língua através destas figuras.
– Agora, peçam para os alunos abrirem a Bíblia em Tg 3.2 a 12. Façam uma leitura compartilhada destes versículos, que consiste em cada aluno ler um versículo ou até mesmo a turma ler alguns versículos que precisam ser mais enfatizados.
À medida que a leitura for realizada vocês analisam o que foi lido com a figura proposta por Tiago e o uso da língua, apresentando exemplos e orientações contextualizadas com o tipo de aluno que você ensina.
– Depois, coloquem no quadro a figura abaixo ou apresentem como slide. Leiam e reflitam sobre o poder de um boato.
– Depois, leiam o texto “As Três Peneiras”, que proporcionará a reflexão sobre o cuidado de passar boatos em 03 peneiras antes de repassá-los adiante.
– Para concluir, utilizem a dinâmica “Portador de Bênção”.
Tenham uma excelente e produtiva aula!

Dinâmica: Portador de Bênção

Objetivo: Concluir o estudo sobre o cuidado com o que falamos, transmitindo uma mensagem abençoadora para os colegas.

Material:
Não é necessário

Procedimento:
– Falem: Estudamos sobre o cuidado com aquilo que falamos.
– Continuem, falando: Fomos alertados que de uma mesma boca não pode proferir bênção e maldição. Agora, vamos ser portador de uma mensagem abençoadora para os colegas, usando adequadamente nossa fala.
– Antes, vejamos o que a Bíblia nos diz sobre isto:
“Eis que recebi mandado de abençoar; pois ele tem abençoado, e eu não o posso revogar”(Nm 23.20).
 “O Senhor Deus me deu uma língua erudita, para que eu saiba dizer a seu tempo uma boa palavra ao que está cansado”(Isaías 50:4).
– Depois, organizem os alunos em 02 grupos.
– Peçam para que cada aluno transmita uma mensagem abençoadora para os colegas do seu grupo.
– Agora, solicitem que cada grupo transmita uma mensagem abençoadora para os colegas do outro grupo.
– Para finalizar, leiam: Como maçãs de ouro em salvas de prata, assim é a palavra dita a seu tempo(Pv 25.11).
Por Sulamita Macedo.

Texto de Reflexão
As Três Peneiras
            Seu Edgar foi transferido de setor da fábrica em que trabalhava. Para fazer “média” com o novo chefe, saiu com essa:
            – Chefe, o senhor, nem imagina o que me contaram a respeito do Zequinha…
            Nem chegou a terminar a frase e o seu chefe interrompeu dizendo:
            – Espero um pouco, seu Edgar. O que vai me contar já passou pelas três peneiras?
            – Peneiras? Que peneiras, chefe?
            – A primeira peneira é a da VERDADE. Tem certeza de que esse fato é absolutamente verdadeiro?
            – Certeza absoluta, não. O que sei é que me contaram, mas eu acho que..
            – Então, sua história já vazou na primeira peneira. Vamos a segunda, que é a da BONDADE. O que vai contar é alguma coisa que gostaria que os outros dissessem a seu respeito?
             – Claro que não, Deus me livre.
            – Então, essa história já vazou na segunda peneira. Vamos ver a terceira, que é a da NECESSIDADE. O senhor acha mesmo necessário contar esse fato, passar essa história adiante?
            – Necessário? Bem… Necessário não é… Pensando nestas peneiras vi que não sobrou nada mesmo do que eu ia contar.
Autoria do texto desconhecida.
           
Texto Pedagógico
Mostra Cultural na EBD
Mostra Cultural ou Feira é uma atividade didática, objetivando uma exposição de trabalhos produzidos pelos alunos, com tema definido, sob a orientação dos professores, ao longo de um determinado período de estudo, pesquisa e elaboração das atividades, proporcionando aprendizagem com investigação e criatividade.
Para uma Mostra Cultural é importante que sejam observados vários pontos, destacados a seguir:
– Reunir os professores e demais componentes da direção da EBD, para uma reunião, na qual serão explicados a proposta da feira e os itens importantes para sua execução. Uma representatividade dos alunos pode estar presente a esta reunião.
– Estimular os professores para que se sintam motivados e que haja integração e envolvimento dos alunos na proposta.
– Destinar e delimitar tempo para preparar o material, que deve ser preparado ao longo do trimestre pelos alunos no horário da EBD, como também em horário extraclasse.
– Marcar o dia da apresentação dos trabalhos. Este momento é chamado de Culminância.
– Escolher o tema da Mostra. Dividir os subtemas entre as classes, para que não haja repetição.
– Procurar diversificar a forma de apresentação dos trabalhos, tais como: curiosidades, cartazes, banners, filme, documentário, peça de teatro ou uma encenação simples, perguntas e respostas, desenhos ilustrativos, maquetes etc.
– Esclarecer para os alunos que a qualidade da apresentação dos visuais como do que vai ser falado são fatores importantes numa exposição.
– Os professores devem orientar os alunos sobre o que vai ser falado por eles no momento das apresentações. Partindo do princípio que pesquisas foram realizadas e há muito conteúdo lido, então é interessante fazer uma seleção de informações, para o momento de expor os trabalhos.
– Divulgar a Mostra Cultural para a Igreja nos cultos, convidando os membros e congregados para o dia da exposição.

– Convidar pessoas do entorno da igreja ou de outras congregações para prestigiar o evento, diversificando e ampliando o público para a Mostra.
– Decidir se vai haver uma camiseta com o nome “Mostra Cultural”.
– Escolher o local de realização da Mostra Cultural e providenciar mesas, cavaletes, quadros etc., para colocar os materiais que serão expostos.
– Decidir qual a origem da fonte dos recursos financeiros para comprar material para exposição dos trabalhos.
– Registrar a Mostra Cultural, desde o momento de elaboração das atividades, a montagem e o dia da exposição. O registro pode ser com fotografias e filmagem.
– Organizar uma forma para os que estão apresentando os trabalhos possam visitar a Feira, se reversando na apresentação e na visitação aos stands.
– Organizar uma equipe para recepcionar os convidados e entregar um convite para participar da EBD e/ou dos cultos. Esta equipe deve ficar com um “Livro de Assinaturas” dos convidados, que podem colocar suas impressões sobre a exposição na saída do evento.
– Organizar um “Livro de Assinatura”, que nas páginas iniciais pode ser colocado o projeto da Mostra Cultural, depois as assinaturas e impressões dos visitantes e por fim um relato objetivo de como aconteceu o evento. Através deste livro de assinaturas fica registrado um memorial, que servirá de consulta para outros projetos.
– Elaborar um planejamento das atividades e nomes dos responsáveis e como vai ser o funcionamento de cada etapa.
– Fazer reuniões periódicas para saber como estão as ações em andamento e procurar minimizar e solucionar os entraves que possam impedir o sucesso da Mostra.
– Organizar a Mostra no dia anterior à culminância, com a montagem dos trabalhos. É interessante pensar também como vai ser a desmontagem e a destinação das atividades.
– Após o tempo da exposição no dia da Amostra, é bom reunir todos os envolvidos e convidados e fornecer um lanche.
– Realizar uma reunião para avaliar os pontos negativos e positivos da Mostra Cultural.
Que tal realizar uma Mostra Cultural neste trimestre? Então, mãos à obra!


Por Sulamita Macedo.

Fonte: http://atitudedeaprendiz.blogspot.com.br/

About Author

Pós-Graduando em Ciências da Religião (FACETEN); Pós-Graduado em Metodologia do Ensino da História e da Geografia (FACIBRA); Graduando em Pedagogia (Estácio de Sá); Graduado em Gestão de Comércio Exterior (CET-FAESA); Bacharel em Teologia e, Coautor do livro: “Escola Dominical o que você precisa saber”.

Deixe uma resposta! Seu comentário é relevante!

%d blogueiros gostam disto: