RESSURREIÇÃO DE CRISTO E RESSURREIÇÃO DO CORPO (1º Coríntios Cap. 15)

0
OBJETIVO
Expor e esclarecer textos bíblicos sobre ressurreição, reforçando que a vida não termina na morte.

IDEIA CENTRAL DO TEXTO

A ressurreição de Cristo e dos crentes.
INTRODUÇÃO
Este é um tema relevante, da qual todo cristão precisa estar inteirado e crer, pois a ressurreição é o ponto culminante da salvação do homem. Muitos criam na ressurreição de Cristo, mas não criam na ressurreição do corpo físico  Os gregos, por exemplo, criam na imortalidade da alma apenas, não na ressurreição do corpo. Havia uma linha de pensamento judeu que negava a imortalidade da alma e ressurreição do corpo.
RESSURREIÇÃO DE CRISTO:
1. Cristo morreu e ressuscitou segundo as escrituras – Vs. 1-34.
·      Sagrada escritura afirma morte e ressurreição de Cristo (Vs. 3, 4);
·      Várias testemunhas viram Cristo ressuscitado (Vs. 4-8);
·      Se Cristo não ressuscitou é vã nossa fé (Vs. 9-19);
·      Cristo é a garantia de ressurreição de todos (Vs. 20-23);
RESSURREIÇÃO DO HOMEM:
1. Haverá ressurreição dos mortos – Vs. 35-58.
·      Cristo é a primícias, logo há ressurreição dos homens (Vs. 21-23);
·      Há ressurreição para os mortos, para os vivos salvos há transformação (Vs. 36, 51);
·      Carne e sangue não herdarão os céus (Vs. 50);
·      Na volta de Cristo os vivos serão transformados (Vs. 51-54; 1 Ts 4.13-18);
·      Receberemos corpos gloriosos (1 Jo 3.2; 1 Co 15.53, 54)
2. Ressurreições dos Justos e Ímpios.
·      Primeira ressurreição – dos salvos no arrebatamento e em todos os tempos (1 Ts 4.16; Ap. 7.10-14; 20.4-6);
·      Segunda ressurreição – dos ímpios que será para o juízo final  (Ap 20.11-15; Dn 12.2);
CONCLUSÃO 
O que aprendemos aqui? A vida não termina com a morte, e ainda que morramos antes da volta de Cristo, ainda há esperança. Cristo ressuscitou, os fatos são incontestáveis basta olhar as obras de Deus ao longo do tempo. Sua palavra é fiel.
Fonte:
Bíblia de Ajudas Adicionais, Editora Alfalit.
Comentários de 1 Coríntios, Willian Barclay.
Prof. Robson Santos

Deixe uma resposta! Seu comentário é relevante!