Conselhos aos professores da EBD – Professores de Adolescentes

0

Lidar com turmas de adolescentes não é tarefa fácil. E duas virtudes que considero imprescindíveis para a missão de educar essa garotada são: compreensão e paciência (muita paciência, aliás). Um professor incompreensivo e impaciente lecionando para adolescentes será um grande deserviço à educação cristã. Essa turma está saindo da infância (embora ainda continuem crianças), e está num clima de explosão e transformação constante: puberdade, aulas de ciências (aquela história de seres eucariontes e procariontes mata qualquer um), sentimentos mais aflorados – mal completou 12 anos e já tá querendo namorar o galãzinho da igreja -, sentimento atrevido de independência, afinal adolescentes não querem mais que a mamãe ou papai vá deixá-los na escola, curiosidade pelas coisas em redor… A cabeça de um adolescente é um campo minado. Tem que ir com cuidado senão explode.

O professor precisa compreender essas transformações físicas, mentais e interpessoais que o adolescente sofre. Do caso contrário, viverá um estress bem maior em sala de aula, por achar os adolescentes muito inquietos, desinteressados, converseiros, enfim… Não é isso. É que é da natureza de um adolescente precisar estar em maior movimento. Aliás, você, professor dessa faixa etária deveria aproveitar essa explosão dos seus alunos para envolvê-los mais em sua aula: elabore dinâmicas de grupo, organize atividades de pesquisa e apresentação para seus alunos realizarem (parece ultrapassado, mas as meninas adoram fazer trabalhos em cartolina), use todos recursos didáticos quanto possível, mude sempre sua metodologia de aula para não cair em rotina (vá por mim, adolescentes detestam rotina), não despreze as aulas expositivas, mas não faça delas seu único instrumento de ensino.

E quer um conselhoZÃO? Seja amigo dos seus alunos! Ganhe a confiança deles. Adolescentes nunca vão ouvir/participar/interagir numa aula dada por um professor com quem eles nunca simpatizaram. E outra coisa: seja divertido com eles. Adolescentes amam dar boas risadas. Não precisa, nem deves, ser um professor-palhaço, mas se azeitar sua aula com bom humor, seus alunos vão aprender muito mais! E quer mais um conselhoZÃO? Evite diminutivos quando trabalhar com adolescentes: acabe com essa coisa de “amiguinho”, “coleguinha”, “irmãozinho”… Eles vão achar você muito “titia”, muito cafona! Como eu disse, eles ainda são crianças, mas querem se sentir moças e rapazes. Então dê essa moralzinha pra eles. E acima de tudo: ajude-os na compreensão e prática do Evangelho de Jesus Cristo!

Autor: Desperta Jovem
Créditos de imagem: Desperta Jovem

Deixe uma resposta! Seu comentário é relevante!