Aula dinâmica, Slides editáveis, Subsídios e materiais para fazer sua classe da EBD crescer mais. Tenha todo material necessário para a ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL

Lição 4: Como se conduzir na caminhada (Adultos)

TEXTO ÁUREO

Andai com sabedoria para com os que estão de fora, remindo o tempo.” (Cl 4.5).

VERDADE PRÁTICA

A jornada para Céu deve ser feita com prudência e sabedoria num contexto de oposição a nossa maneira de viver.

LEITURA DIÁRIA

Segunda — Jo 13.15

O Senhor Jesus como nosso modelo de vida

Terça — Jo 4.34; 6.38; 17.4

Fazendo a vontade do Pai na caminhada

Quarta — 1Co 9.24-27

A jornada espiritual semelhante à de um atleta

Quinta — Pv 9.9,10

A necessidade da prudência na caminhada

Sexta — Ef 2.2,3

Não podemos trilhar o caminho dos néscios na jornada

Sábado — Cl 4.5

Remindo o tempo ao longo da caminhada

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Efésios 5.15-17.

15 — Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios,

16 — remindo o tempo, porquanto os dias são maus.

17 — Pelo que não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor.

HINOS SUGERIDOS

28, 126 e 378 da Harpa Cristã.

PLANO DE AULA

1. INTRODUÇÃO

Nesta lição, trataremos sobre a conduta cristã neste mundo enquanto aguardamos o grande Dia da Redenção. Para essa jornada, nosso Senhor deixou orientações contundentes e necessárias a fim de que os seus discípulos não perdessem o ânimo, mas suportassem as aflições deste mundo (Jo 16.33). Na sequência, veremos também que o andar do crente deve ser prudente e com sabedoria, principalmente para com os que estão de fora. Por fim, a lição aponta que os dias são maus e, por isso, o crente deve ter um modo de vida vigilante.

2. APRESENTAÇÃO DA LIÇÃO

A) Objetivos da Lição: I) Apontar o padrão de conduta cristã descrito na Palavra de Deus; II) Explicar que a caminhada cristã deve ser conduzida com prudência e sabedoria; III) Advertir qual deve ser o comportamento do crente frente aos dias maus.

B) Motivação: O maior desafio da vida cristã consiste em viver neste mundo de modo santo, justo e agradável a Deus. Para tanto, a Bíblia exorta quanto ao preparo espiritual do crente para lidar com os dias maus que não são poucos. Comente sobre esse preparo espiritual e pergunte aos seus alunos o que o crente deve fazer para se preparar para lidar com as adversidades.

C) Sugestão de Método: O segundo tópico da lição destaca a orientação do apóstolo Paulo a não andarmos como néscios, mas sim como sábios durante o tempo da nossa peregrinação por este mundo. A partir dessa reflexão, desenhe duas colunas, na lousa, uma denominada de Néscios e a outra, de Sábios; e pergunte aos alunos quais são os comportamentos observados nos néscios e nos sábios. Escreva as informações em cada coluna respectivamente e reforce que viver de modo sábio é ser semelhante a Jesus.

3. CONCLUSÃO DA LIÇÃO

A) Aplicação: O apóstolo Paulo destaca na Carta aos Romanos que não se envergonha do Evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê (Rm 1.16). Logo, praticar o Evangelho significa ter uma vida transformada de modo que a conduta da pessoa convertida é parecida com a de Cristo. Isso significa que viver o Evangelho não se resume a conhecer as Escrituras Sagradas, e sim a adotar seus valores e princípios como estilo de vida.

4. SUBSÍDIO AO PROFESSOR

A) Revista Ensinador Cristão. Vale a pena conhecer essa revista que traz reportagens, artigos, entrevistas e subsídios de apoio à Lições Bíblicas Adultos. Na edição 97, p.39, você encontrará um subsídio especial para esta lição.

B) Auxílios Especiais: Ao final do tópico, você encontrará auxílios que darão suporte na preparação de sua aula: 1) O texto “Aquele que diz que está nele também deve andar como ele andou” (1Jo 2.6), localizado depois do primeiro tópico, denota o estilo de vida a partir do exemplo de vida de Cristo; 2) O texto “Compreender a vontade do Senhor”, ao final do segundo tópico, amplia a reflexão a respeito de discernimento da vontade de Deus e que isso resulta em uma vida sábia e prudente.

COMENTÁRIO

INTRODUÇÃO

Na jornada da vida cristã o Pai Celestial estabelece o padrão de conduta para a vida eterna. Ele sinaliza como devemos agir ao longo desse caminho para o Céu. Por isso, como evidência do seu amor e cuidado, preparando tudo para que trilhemos bem o caminho da verdade, o Pai nos corrige em nossa jornada cristã. Por isso, nesta lição, estudaremos a respeito de como devemos nos conduzir pelo caminho que nos leva ao Céu.

Palavra-Chave:

CONDUTA

I. O PADRÃO DE CONDUTA NA CAMINHADA CRISTÃ

1. Jesus como nosso padrão de conduta. Antes de analisarmos o texto bíblico de Efésios 5, cabe-nos refletir a respeito de um padrão geral de conduta para fazer a vontade do Pai nesta caminhada cristã. Há um padrão que o Senhor Jesus espera de seus discípulos para fazer a vontade de Deus nesta vida? A palavra “padrão” expressa uma norma determinada por consenso, ou por uma autoridade oficial, que se torna base de comparação consagrada como modelo a ser seguido. O Senhor Jesus ensinou o seguinte: “Porque eu vos dei exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também” (Jo 13.15). Ora, esse texto expressa que Ele é o nosso modelo de conduta, o nosso padrão de vida. Sim, há um padrão de conduta que tem como base o nosso Senhor e quem deseja fazer a vontade de Deus neste mundo deve olhar para Jesus, o autor e consumador da nossa fé (Hb 12.2).

2. Fazendo a vontade de Deus. Como Filho de Deus, Jesus procurou agradar ao Pai na jornada desta vida, fazendo sempre a sua vontade (Jo 4.34; 6.38; 17.4). Não por acaso, nosso Senhor nos incentivou a buscar a vontade do Pai na oração que Ele ensinou aos discípulos, o “Pai Nosso” (Mt 6.10; cf. Mt 26.39,42). Aos olhos humanos, parece muito difícil andar no padrão divino de Cristo. Entretanto, isso é possível quando buscamos o auxílio do alto, conforme oração ensinada por Ele (Mt 6.9-13). Logo, o cristão que deseja ir para o céu procura fazer a vontade de Deus, deixando de lado o caminho do egoísmo, do orgulho e da vaidade; procurando se aproximar e praticar a “Lei de Ouro” ensinada pelo nosso Senhor: “tudo o que vós quereis que os homens vos façam fazei-lho também vós” (Mt 7.12; cf. Rm 13.8,10).

3. Uma vida cristã bem-sucedida. A respeito da vida cristã, o apóstolo Paulo disse que estamos numa “competição espiritual” e, por isso, devemos procurar o caminho certo para nos acharmos qualificados (1Co 9.24-27). Dessa forma, o cristão possui um padrão que o levará a uma vida espiritual bem-sucedida. Sabemos que pessoas bem-sucedidas procuram espelhar-se em outras pessoas ilustres, equilibradas e resilientes (cf. 1Co 11.1). Ora, em Cristo Jesus temos esse padrão e modelo. Ele foi resiliente, equilibrado e ilustre até a morte, de modo que o apóstolo Paulo escreveu sobre o nosso Senhor, exortando que o imitássemos: “De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus” (Fp 2.5; cf. Mt 11.29).

SINOPSE I

Jesus é o nosso modelo de conduta, o nosso padrão de vida.

AUXÍLIO HISTÓRICO-CULTURAL

Aquele que diz que está nele também deve andar como ele andou (1Jo 2.6).

“Andar é periepatesen, uma palavra frequentemente usada como uma imagem do ‘modo de vida’. Quem mantiver um íntimo relacionamento com Jesus Cristo irá demonstrar a realidade desse relacionamento vivendo uma vida cristã. Os tempos dos verbos deixam claro que João está falando a respeito de estilo de vida. O que se está afirmando não é que essa pessoa está salva, mas que ela está vivendo em comunhão com o Senhor — que ela ‘está nEle’. A prova desta reivindicação — não a prova da reivindicação de ser salva — é que essa pessoa mantém um modo de vida cristão. […] João deixa claro que os princípios que movem o mundo estão em conflito direto com Deus e com tudo o que Ele representa. Desta forma, ninguém que esteja envolvido pela perspectiva que o mundo tem na vida irá fazer a vontade de Deus, nem desfrutar das bênçãos eternas conhecidas por aqueles que vivem eternamente” (RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2007, pp.535,536).

II. FAZENDO A CAMINHADA COM PRUDÊNCIA E SABEDORIA

1. O que é prudência? Podemos dividir o capítulo 5 de Efésios em três partes: 1) a caminhada do cristão em amor (Ef 5.1-14); 2) uma caminhada sábia (Ef 5.15-17); 3) uma trajetória cheia do Espírito Santo (Ef 5.18-33). Aqui, nos deteremos na segunda parte. Em Efésios 5, o apóstolo Paulo ensina a respeito da caminhada do cristão neste mundo. Neste capítulo, a palavra “prudência” se destaca. De acordo com o Antigo Testamento, a palavra “prudência” tem conotação de compreensão, discernimento (Pv 9.9). Em provérbios 9.10, quando se diz que o justo “crescerá em prudência”, o termo traz a ideia de ensino, instrução e capacidade para ensinar. No Novo Testamento, a palavra remete a algo que Deus derramou sobre nós, ou seja, “toda a prudência”, entendimento, conhecimento e amor à vontade de Deus (Ef 1.8). Então, podemos conceituar prudência como virtude que nos permite agir com cuidado e moderação diante de situações desafiadoras; é uma razão prática que nos permite discernir entre as escolhas mais adequadas para fazer o bem (Pv 16.16; cf. Tg 5.17).

2. Não andeis como néscios! Apóstolo Paulo diz que não devemos andar como néscios (Ef 5.15), cujo adjetivo asophos, traz a ideia de alguém insensato, tolo, ignorante e embotado (Lc 24.25); mas como “sábios”, ou seja, diligente, cuidadoso e sábio, cheio do Espírito Santo para fazer a vontade do Senhor. Ser néscio reflete uma vida de ignorância espiritual, ausência de sabedoria e desprovida de luz divina; significa estar imerso numa jornada de pecado (Ef 2.2,3). Por isso, o apelo do apóstolo Paulo para o crente é: “vede prudentemente como andais”. Em outras palavras: seja prudente. O apóstolo deixa claro que os que vivem na carnalidade jamais agradarão a Deus (Rm 8.8).

3. Andeis como sábios! O adjetivo que Paulo usa para qualificar quem caminha para o céu é “sábio”, do grego sophós, uma pessoa hábil, perita. Esse adjetivo descreve em essência a vida do cristão dirigida pelo Espírito Santo. Ora, os que andam no Espírito, caminham na luz, na santidade e tem sabedoria (Ef 1.8; Cl 4.5). Por meio da luz divina, que habita o crente, seu andar é com discernimento, a sabedoria realmente o faz distinguir entre o que deve ou não fazer. Há um compromisso de jamais voltar a conduta antiga do mundo. Contudo, é relevante compreender que essa sabedoria não é humana, não surge de cursos acadêmicos; ela é espiritual, vem de cima. Por meio dessa sabedoria, andamos em santidade (Hb 12.14) e nos tornamos semelhantes a Jesus (1Jo 3.2; Gl 3.26).

SINOPSE II

A sabedoria no crente o faz discernir entre o que deve ou não fazer.

AUXÍLIO BÍBLICO-TEOLÓGICO

Compreender a vontade do Senhor

“Enquanto fazer o melhor uso das oportunidades está relacionado à diligência ou à sabedoria, compreender a vontade do Senhor está relacionado ao discernimento. A sabedoria na vida diária reside na vontade de Deus; e ao procurar discernir esta vontade, devemos sempre distinguir entre o que está relacionado ao geral e ao particular. O primeiro é encontrado nas Escrituras, por exemplo, Deus não quer ‘que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se’ (2Pe 3.9). Esse seu desejo particular pela vida de cada pessoa poder ser conhecido através dos princípios das Escrituras, dos conselhos comunitários ou da sabedoria, da oração e da orientação que nos foram revelados pelo Espírito Santo. ‘Confia no Senhor de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas’ (Pv 3.5,6). Quando toda nossa vida está relacionada à vontade de Deus, em suas dimensões geral e particular, então estaremos vivendo de forma prudente e sábia” (Comentário Bíblico Pentecostal Novo Testamento. Volume 2. Romanos — Apocalipse. Rio de Janeiro: CPAD, 2003, pp.450,451).

III. VENCENDO OS DIAS MAUS

1. Remindo o tempo. O versículo 16 de Efésios 5 apresenta o verbo remir como tradução do grego exagorázō. Ele possui dois sentidos: 1) redimir, resgatar do poder de outro pelo pagamento de um preço; 2) comprar para uso próprio. Então, podemos dizer que remir é uma expressão usada para se referir à sabedoria dos compradores que esperavam o momento certo para comprar de acordo com o melhor preço oferecido pelo mercado. Com a expressão “remindo o tempo”, o apóstolo Paulo se refere ao cristão que se conduz de maneira proveitosa e sábia no contexto deste mundo (Ef 5.16; cf. Cl 4.5).

2. Remindo o tempo e a Volta do Senhor. Quando se falava a respeito de remir o tempo entre os cristãos primitivos, estes tinham em mente a iminência da segunda vinda do Senhor Jesus, ou seja, esse esperado acontecimento poderia acontecer a qualquer momento (1Co 15.51). Por isso, os cristãos eram incentivados a procurar sabiamente aproveitar todas as oportunidades, em especial, no sentido de se prepararem espiritualmente para aquele dia. Assim, a perspectiva da iminente volta do nosso Senhor faz com que não percamos tempo com coisas banais; antes, nos exorta a viver de maneira sábia, santa e piedosa, pois o Senhor Jesus pode voltar a qualquer momento (1Ts 4.15).

3. Os dias são maus. Outra expressão que chama atenção é “os dias são maus” (Ef 5.16). Ela revela que estamos inseridos numa sociedade dominada pelo pecado, que pode tomar o nosso tempo e nos levar a prática do mal. Não podemos nos conformar com essa possibilidade, não podemos ser insensatos a tal ponto, mas entender “qual seja a vontade de Deus” (Ef 5.17). Desse modo, a vontade de Deus tem a ver com, como cristãos, aproveitarmos o tempo para fortalecer nossa vida espiritual, praticar o bem para com os outros, ler a Bíblia, orar, se consagrar e congregar (Gl 6.10; Hb 10.25).

SINOPSE III

O crente deve fortalecer a sua vida espiritual para lidar com as adversidades dos dias maus.

CONCLUSÃO

Em nossa caminhada para as mansões celestiais precisamos seguir o padrão divino, isto é, as normas determinadas pelo Pai, que estão inseridas em sua Palavra (2Tm 3.16). É preciso viver sábia e prudentemente, aproveitando bem as oportunidades de fazer o bem, e não deixarmo-nos dominar pelos dias maus, na certeza de que a Vinda do Senhor se aproxima e, isso, nos incentiva de maneira santa (Hb 12.14).

REVISANDO O CONTEÚDO

1. O que a palavra “padrão” expressa?

A palavra “padrão” expressa uma norma determinada por consenso, ou por uma autoridade oficial, que se torna base de comparação consagrada como modelo a ser seguido.

2. Como o capítulo 5 da Carta aos Efésios pode ser dividido?

Podemos dividir capítulo 5 de Efésios em três partes: 1) a caminhada do cristão em amor (Ef 5.1-14); 2) uma caminhada sábia (Ef 5.15-17); 3) uma caminhada cheia do Espírito Santo (Ef 5.18-33).

3. De acordo com a lição, conceitue as palavras “prudência” e “néscio”.

Podemos conceituar prudência como virtude que nos permite agir com cuidado e moderação diante de situações desafiadoras; é uma razão prática que nos permite discernir entre as escolhas mais adequadas para fazer o bem (Pv 16.16; cf. Tg 5.17).

4. Explique a expressão “remir”.

Remir é uma expressão usada para se referir à sabedoria dos compradores que esperavam o momento certo para comprar de acordo com o melhor preço oferecido pelo mercado.

5. O que a expressão “os dias são maus” revela?

Essa expressão revela que estamos inseridos numa sociedade dominada pelo pecado, que pode tomar o nosso tempo e nos levar a prática do mal.

SUBSÍDIOS ENSINADOR CRISTÃO

COMO SE CONDUZIR NA CAMINHADA

Na jornada da vida, o cristão deve atentar não apenas para o caminho que deve seguir, mas também para o modo como seguir. A Palavra de Deus ressalta que o cristão deve cuidar para que a sua comunhão com Deus e a saúde espiritual sejam preservadas, bem como zelar por uma conduta que seja exemplar e sábia, principalmente para com os que estão de fora (Cl 4.5,6). Para que a procedência do cristão seja correta, há um aspecto indispensável à conduta que deve ser observado. A Carta de Tiago discorre que se alguém tem falta de sabedoria deve pedir a Deus que a todos dá liberalmente e não o lança em rosto (Tg 1.5). Ser sábio, do ponto de vista bíblico, é ter uma conduta de acordo com o que afirma e instrui a Palavra de Deus. Isso inclui tomar decisões corretas, falar ou responder prudentemente quando é indagado, e demonstrar mansidão diante das ofensas (Tg 1.19). O viver sábio é marcado pela forma como o cristão se relaciona com as demais pessoas. Tiago afirma ainda que a sabedoria deve ser adquirida pela oração com fé (Tg 1.6). Quem se aproxima de Deus deve crer convictamente que Ele é galardoador dos que O buscam (Hb 11.6). A conduta cristã deve ser norteada pela fé e não pela vista.

O livro de Provérbios destaca diversas lições no tocante ao comportamento sábio a partir da aquisição da sabedoria. Em sua obra o Comentário Devocional da Bíblia (CPAD), Lawrence O. Richards observa que “a pessoa sábia não é o indivíduo de grande êxito intelectual, mas a pessoa que faz as escolhas apropriadas na sua vida diária. Saber o que é certo e fazê-lo é sabedoria, para você e para mim, assim como era para o hebreu antigo. A raiz hebraica traduzida como ‘sábio’ e ‘sabedoria’ aparece mais de 300 vezes no Antigo Testamento. Juntas, retratam uma pessoa sábia como sendo alguém que se sujeita a Deus e que aplica as orientações divinas quando faz escolhas diárias. Por sua vez, a tolice envolve a rejeição das orientações divinas, ou qualquer outra falta de aplicação delas, quando se toma decisões morais, ou outras. […] A literatura de sabedoria não declara a lei divina, nem registra promessas divinas, mas simplesmente descreve o comportamento que exemplifica escolhas sábias e tolas que uma pessoa pode fazer” (2012, p.338).

Por fim, o viver sábio é também nutrir uma vida espiritual saudável, afastada do pecado e da aparência do mal, isto é, evitando qualquer circunstância que possa ser interpretada como pecaminosa ou imoral (1Ts 5.22). A Palavra de Deus exorta a ter uma vida íntegra e sossegada de modo que naquilo que os descrentes falam com malignidade, por vivermos em Cristo, fiquem confundidos em razão do bom procedimento (1Pe 3.16).

Extraído: estudantesdabiblia

Confira, Nosso slide foi desenvolvido com base nos tópicos da lição da CPAD, sendo um recurso repleto de novidades e criatividade. Ele é dinâmico e autoexplicativo, o que o torna uma ferramenta poderosa para os professores. Com esse recurso, vocês professores poderão ministrar aulas excelentes, proporcionando aos alunos uma experiência de aprendizado de 100% de aproveitamento.

O mais importante é que os alunos participem ativamente e absorvam o conteúdo apresentado durante a aula. Com o auxílio deste slide, a aula se torna mais interativa e estimulante, contribuindo para o crescimento e desenvolvimento dos estudantes.

#EscolaDominical #ebd #cpad #LiçõesBiblicas #Lição

SUA OPINIÃO É RELEVANTE, COMENTE

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Consulte mais informação

CLIQUE AQUI
Saiba mais, Clique aqui
EBD INTERATIVA
Olá! Seja bem-vindo (a)....

✏️🔍Acesse no Portal EBD Interativa: https://ebdinterativa.com.br/shopping

✅ Livros / Cursos / Slides / Certificados

Confira as ofertas de hoje...