Lição 11: O zelo do apóstolo Paulo pela Sã Doutrina (Integra)

A Igreja de Cristo é a única instituição divina na terra que preserva e defende a sã doutrina diante dos enganos e males das heresias.

LIÇÕES BÍBLICAS CPAD

ADULTOS

4º Trimestre de 2021

Título: O apóstolo Paulo — Lições da vida e ministério do Apóstolo dos Gentios para a Igreja de Cristo

Comentarista: Elienai Cabral

Data: 12 de Dezembro de 2021 — O Dia da Bíblia

VÍDEO DE APOIO

Notas de Aula — Lição 11.

TEXTO ÁUREO

Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina; persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem.” (1Tm 4.16).

VERDADE PRÁTICA

A Igreja de Cristo é a única instituição divina na terra que preserva e defende a sã doutrina diante dos enganos e males das heresias.

LEITURA DIÁRIA

Segunda — Hb 6.1,2

Os princípios elementares da sã doutrina

Terça — 1Co 3.1-3

Os males das facções na igreja

Quarta — 2Jo 9

A desobediência à sã doutrina

Quinta — 1Co 5.1-13

A disciplina na igreja

Sexta — 1Co 10.23-32

Os limites da liberdade cristã

Sábado — Mt 16.13-18

O fundamento da Igreja

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

1 Timóteo 6.3-6,11; 2 Timóteo 3.14-17.

1 Timóteo 6

3 — Se alguém ensina alguma outra doutrina e se não conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo e com a doutrina que é segundo a piedade,

4 — é soberbo e nada sabe, mas delira acerca de questões e contendas de palavras, das quais nascem invejas, porfias, blasfêmias, ruins suspeitas,

5 — contendas de homens corruptos de entendimento e privados da verdade, cuidando que a piedade seja causa de ganho. Aparta-te dos tais.

6 — Mas é grande ganho a piedade com contentamento.

11 — Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência, a mansidão.

2 Timóteo 3

14 — Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido.

15 — E que, desde a tua meninice, sabes as sagradas letras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus.

16 — Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça.

17 — para que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente instruído para toda boa obra.

HINOS SUGERIDOS

306, 322 e 505 da Harpa Cristã.

OBJETIVO GERAL

Asseverar o zelo pela Sã Doutrina.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.

  • I. Conceituar e correlacionar ortodoxia e heterodoxia;
  • II. Advertir a respeito da ameaça da corrupção doutrinária;
  • III. Apresentar a Igreja como a guardiã da Sã Doutrina.
INTERAGINDO COM O PROFESSOR

Em relação a Bíblia, a Palavra de Deus, cremos na sua inerrância, infalibilidade e suficiência para toda a regra de fé e prática. Para nós, zelar pela sã doutrina que se encontra nas Escrituras Sagradas é inegociável. Em tempos de ventos de doutrinas, torna-se urgente, a partir da vida e ministério do apóstolo Paulo, reafirmar o nosso compromisso com a Sã Doutrina exposada na Bíblia, a Palavra de Deus.

Busquemos honrar a Bíblia e, ao mesmo tempo, ter a coragem de afirmar e reafirmar as gloriosas e antigas doutrinas das Sagradas Escrituras. Essas doutrinas edificam e sustentam a Igreja de Cristo ao longo dos tempos.

COMENTÁRIO

INTRODUÇÃO

Qual o fim do mandamento? Por que devemos zelar pela sã doutrina? Qual o ponto de equilíbrio da sã doutrina? O assunto que estudaremos nesta lição responderá essas questões que se mostram importantes para a nossa caminhada na vida cristã. Que o Espírito Santo o enriqueça na graça e no conhecimento.

PONTO CENTRAL

É preciso zelar pela Sã Doutrina.

I. ORTODOXIA VERSUS HETERODOXIA

1. Dois termos técnicos importantes. Ortodoxia e heterodoxia são dois termos técnicos necessários à Teologia para compreender a distinção entre ensino correto e desvios quanto à doutrina bíblica. Esses termos nos ajudam a compreender a preocupação de Paulo com a invasão de heresias nas igrejas locais.

2. Conceito de ortodoxia. Na língua grega do Novo Testamento, a palavra tem como prefixo orthos e significa “o que é direito, reto, certo” (1Tm 4.1,2). Então, a definição técnica para a palavra “ortodoxia” diz respeito à “absoluta conformidade com um princípio ou doutrina”. Na Teologia Cristã, o termo refere-se ao modelo bíblico das “sãs palavras” (2Tm 1.13). Logo, a Doutrina Cristã é ortodoxa enquanto for coerente com o que Cristo e os apóstolos ensinaram.

3. Conceito de heterodoxia. O prefixo da palavra heteros significa “diverso”. Assim, heterodoxia nos remete à “opinião diferente; oposição aos padrões, normas ou dogmas estabelecidos”. Se a ortodoxia tem um só parecer, a heterodoxia implica várias opiniões a respeito de um mesmo objeto.

Para o apóstolo Paulo, a Igreja deve manter a unidade doutrinária da fé e combater com veemência as “doutrinas de demônios” (1Tm 4.1). A Igreja deve ser, portanto, ortodoxa. Sua advertência é um antídoto para nós nos dias de hoje. Devemos, pois, fortalecer a unidade doutrinária em nossas igrejas.

SÍNTESE DO TÓPICO (I)

Com ortodoxia nos referimos à Doutrina Cristã enquanto for coerente com o que Cristo e os apóstolos ensinaram. Com heterodoxia, tudo o que for diferente disso.

SUBSÍDIO PEDAGÓGICO

Atente para as seguintes palavras de estudiosos pentecostais: “Reconhecemos também que somente a Bíblia, por ser a Palavra de Deus, tem a resposta definitiva. Todas as palavras meramente humanas são, na melhor das hipóteses, meros ensaios, e só são verdadeiras à medida que se harmonizam com a revelação da Bíblia” (Teologia Sistemática: Uma Perspectiva Pentecostal, CPAD, p.44). Com base neste texto, procure saber como seus alunos consideram a Bíblia. Para eles, a Bíblia tem a resposta definitiva? Discuta com eles a respeito das produções literárias humanas e a superioridade da revelação da Bíblia. É preciso pontuar o papel da Bíblia como o livro de valores e princípios atemporais e eternos. Por isso ela está acima de toda produção literária humana.

II. A AMEAÇA DE CORRUPÇÃO DOUTRINÁRIA

1. A advertência do apóstolo. Em 1 Timóteo, Paulo adverte acerca de “alguns que não ensinem outra doutrina” (1.3 — grifo nosso). Aqui a palavra para “outra” é heteros, diverso. Por isso, Paulo se refere a “outra doutrina” como a que nada tinha a ver com a genuína doutrina de Cristo. Esse zelo para preservar a “sã doutrina” trazia um contexto de homens sem escrúpulos que não respeitavam os ensinos apostólicos. O apóstolo os identifica como “lobos cruéis” vestidos de ovelhas que investiam contra o rebanho de Deus, não o perdoando (At 20.29,30).

2. Quais eram os problemas de ordem doutrinária? As igrejas plantadas por Paulo e outros apóstolos, no primeiro século, sofreram com a infiltração de conceitos filosóficos pagãos e judaizantes na interpretação da doutrina apostólica. Nas igrejas como a de Corinto ou Éfeso, havia os que afirmavam crer no Evangelho, mas não renunciavam os costumes pagãos. Outros traziam uma bagagem religiosa do legalismo judaico, aliada ao gnosticismo (1Co 1.12). É lamentável que, hoje, haja os que defendem a banalização da graça de Deus para, em nome dela, viverem em licenciosidade; e os judaizantes que confundem a liturgia cristã com a judaica, bem como a moral cristã com o legalismo judaico. A Igreja de Cristo pertence a um novo tempo e deve obedecer ao ensino do Novo Testamento.

3. Fábulas e genealogias intermináveis (1Tm 1.4). No tempo de Paulo, havia os mestres falsos que propagavam fábulas e lendas da vida judaica como “culto aos anjos” (Cl 2.18). Além de não possuírem conteúdo concreto, eles torciam o sentido da verdade apostólica. O apóstolo advertiu a Igreja quanto a essas coisas e as refutou com veemência (1Tm 1.3,4). Aqui, aprendemos que não podemos perder tempo com querelas infrutíferas. O conhecimento das Escrituras não é para ostentar vaidade pessoal ou capacidade do intelecto, mas para nos fazer caminhar com o coração puro, uma boa consciência e uma fé não fingida (1Tm 1.5).

SÍNTESE DO TÓPICO (II)

Paulo sempre admoestou a Igreja quanto às ameaças de corrupção doutrinária.

SUBSÍDIO TEOLÓGICO

“O termo ‘fábulas’ ou ‘mitos’ (mythos) poderia incluir narrações alegóricas, lendas ou ficção, ou seja, doutrinas espúrias em contraste com a verdade do Evangelho. Esta palavra era frequentemente usada em um sentido pejorativo, denotando deste modo histórias falsas e tolas. A composição de histórias míticas baseadas no Antigo Testamento agradou aos judeus daquele período […]. Os mitos eram também uma parte integrante do ensino dos gnósticos, que tinham, por exemplo, versões alternativas da história da criação” (Comentário Bíblico Pentecostal Novo Testamento: Romanos — Apocalipse. Volume 2. Rio de Janeiro: CPAD, 2012, pp.641,642).

III. A IGREJA COMO GUARDIÃ DA SÃ DOUTRINA

1. A Igreja é “coluna e firmeza da verdade”. Em Timóteo, o apóstolo declarou que a Igreja sustenta a verdade (1Tm 3.15). Por conseguinte, diante das falsas crenças, a Igreja é coluna e firmeza da sã doutrina. Ela é a demonstração viva e santa da verdade revelada nas Escrituras. Por isso, a Igreja mantém e defende a sã doutrina contra todo o erro, oposição intelectual, filosófica e religiosa dos falsos mestres. Não podemos descuidar desse nosso papel.

2. O objetivo do zelo pela sã doutrina. Qual seria o objetivo de zelar pela sã doutrina? Preservar o amor de um coração puro e de uma fé não fingida (1Tm 1.5). A finalidade da defesa da doutrina é o amor como prática sincera da fé em Cristo. O falso ensino e os falsos mestres geram contenda, dissensões e gangrenas na comunhão. Logo, não há cristianismo ortodoxo sem a prática do amor de um coração puro e de uma fé não fingida.

3. A primazia do amor. O fim do mandamento é o amor (1Tm 1.5). Em 1 Timóteo, o amor aparece como um freio, um instrumento de equilíbrio no combate às falsas doutrinas. Na epístola paulina, o combate nunca é contra pessoas, mas contra as ideias que elas representam. O zelo do apóstolo se dá justamente para impedir que o “espírito” dos falsos mestres se infiltrasse na Igreja. Nesse caso, o amor como fim do mandamento é o antídoto perfeito. Ora, o “amor de um coração puro” é um amor que procede de dentro para fora, não se tratando de mero sentimento. Nesse amor, o coração é santificado pelo Espírito Santo, gerando uma pureza interior; pois um coração sujo pelo pecado não pode agir amorosamente. Já um coração limpo diante de Deus recebe e vê as coisas espirituais com transparência. No amor não há lugar para imparcialidade, pois se cultiva uma “boa consciência”; nem lugar para a simulação, fingimento e hipocrisia, pois se cultiva uma “fé não fingida” (1Tm 1.5).

SÍNTESE DO TÓPICO (III)

Como “coluna e firmeza da verdade”, a Igreja é a guardiã da Sã Doutrina.

SUBSÍDIO TEOLÓGICO

“A menção da ‘verdade’ no verso 15 estimula o apóstolo a uma exclamação: ‘E, sem dúvida alguma, grande é o mistério da piedade’. ‘A expressão traduzida como ‘sem dúvida alguma’ (do grego, homologoumenos) significa ‘por consentimento mútuo’, e expressa a convicção unânime dos cristãos’ (Kelly, 1963,88). O que se segue é uma recitação do ‘mistério’ (isto é, da verdade revelada) da ‘piedade’ (o conteúdo ou base do cristianismo, isto é, nossa fé). ‘Uma das características mais interessantes das Pastorais é a citação frequente de resumos da adoração contemporânea. Esta nos dá uma noção muito mais rica de como era a adoração neste primeiro período que nós, de outra forma, não teríamos conhecido’ (Hanson, 1982,45)” (Comentário Bíblico Pentecostal Novo Testamento: Romanos — Apocalipse. Volume 2. Rio de Janeiro: CPAD, 2012, p.662).

CONCLUSÃO

A Bíblia, a Palavra de Deus, é a fonte genuína para a doutrina cristã. Por isso, precisamos ser dedicados estudantes das Sagradas Escrituras a fim de que zelemos pela sã doutrina. Levemos em conta que a finalidade dela é o amor para, em Cristo, vivermos com um coração puro e uma fé não fingida. A exemplo de Paulo, somos chamados para zelar pelo ensino de Cristo a fim de edificar a Igreja do Senhor.

PARA REFLETIR

A respeito de “O Zelo do Apóstolo Paulo pela Sã Doutrina”, responda:

Qual é o conceito de ortodoxia?

A definição técnica para a palavra “ortodoxia” diz respeito à “absoluta conformidade com um princípio ou doutrina”.

Qual é o conceito de heterodoxia?

Heterodoxia nos remete à “opinião diferente; oposição aos padrões, normas ou dogmas estabelecidos”.

A que contexto se refere o zelo de Paulo para preservar a “Sã Doutrina”?

Paulo se refere a “outra doutrina” como a que nada tinha a ver com a genuína doutrina de Cristo.

O que Paulo declarou a respeito da Igreja?

Em Timóteo, o apóstolo declarou que a Igreja sustenta a verdade (1Tm 3.15).

Qual é o fim do mandamento?

O fim do mandamento é o amor (1Tm 1.5).

SUBSÍDIOS ENSINADOR CRISTÃO

O ZELO DO APÓSTOLO PAULO PELA SÃ DOUTRINA

O objetivo geral desta semana é asseverar o zelo da Igreja pela Sã Doutrina. Recebemos uma herança doutrinária dos apóstolos. Estes receberam-na do próprio Senhor Jesus. Por isso, o nosso desafio é perseverar nesse santo ensinamento e praticá-lo com todo zelo. Não podemos renunciar ao verdadeiro Evangelho. Num contexto em que há muitas falsificações, urge estar alertas quanto à pureza da preciosa doutrina.

Resumo da lição

Para desenvolver esse assunto, o primeiro tópico conceitua e relaciona os termos Ortodoxia e Heterodoxia. No sentido de mostrar o que queremos dizer com “zelo doutrinário”, é importante conhecer o que é ortodoxo e heterodoxo. Assim, ortodoxo é todo ensinamento que está de acordo com o que Jesus Cristo ensinou e os apóstolos transmitiram aos novos seguidores de Cristo. E heterodoxo é todo ensino que escapa a ordem e o contexto do que Jesus e seus apóstolos ensinaram.

O segundo tópico adverte para o perigo da corrupção doutrinária. Ou seja, qualquer ensino que escapa ao que Jesus e os apóstolos ensinaram. Na época apostólica, ensinamentos espúrios ameaçavam as igrejas locais. Filosofias pagãs eram disseminadas com vestimentas de ensinamento cristão. O apóstolo Paulo advertiu sobre isso em suas cartas, mostrando que a igreja local deve ter cautela e prudência, rejeitando sempre qualquer ensinamento que manche a pureza do santo Evangelho.

Finalmente, o terceiro tópico apresenta a Igreja como a guardiã da Sã Doutrina por excelência. Assim, o Senhor levantou ministros, pessoas chamadas para zelar pela Palavra de Deus, bem como sua inerrância e suficiência, a fim de que o povo de Deus seja edificado de maneira saudável. Logo, a Igreja de Cristo deve exercer o seu papel de “coluna e firmeza da verdade”.

Aplicação

A lição nos ensina que há uma doutrina verdadeira, legada pelo Senhor Jesus Cristo e seus apóstolos. É a nossa herança de fé. É um legado que não podemos abrir mão. É preciso mergulhar nesse legado.

A lição também adverte que há um perigo real de corrupção doutrinária. Muitos, infelizmente, dividiram igrejas por causa de modismos e vãos ensinamentos. É preciso não ignorar o perigo de um falso ensinamento.

Finalmente, como Igreja de Cristo, que é “coluna e firmeza da verdade”, devemos perseverar na Sã Doutrina. Aquela doutrina legada pelo Senhor e seus apóstolos.

Fonte: Estudantes da Biblia

COMENTÁRIOS

Chat
Precisa de ajuda?
EBD INTERATIVA
Olá!
Como podemos ajudar?
%d blogueiros gostam disto: