Lição bíblica, Subsídios, slides editáveis e materiais para fazer sua classe da EBD crescer mais. Tenha todo material necessário para a ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL

Lição 2: A realidade do Deus da Bíblia (Jovens)

TEXTO PRINCIPAL

Ora, sem fé é impossível agradar-lhe, porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que é galardoador dos que o buscam.” (Hb 11.6).

RESUMO DA LIÇÃO

A Bíblia Sagrada mostra a existência de Deus para o homem moderno.

LEITURA DA SEMANA

SEGUNDA — Sl 53.1

O tolo não acredita na existência de Deus

TERÇA — Jo 3.16

Deus amou a humanidade

QUARTA — Gn 1.1

Deus, o grande Criador

QUINTA — Rm l.l8

A ira de Deus sobre os que pervertem a verdade

SEXTA — Rm 2.6

Julgará a cada um segundo seus atos

SÁBADO — Ap 4.11

Deus é digno de glória e honra

OBJETIVOS

  • COMPREENDER a existência de Deus;
  • CONHECER algumas ideias a respeito de Deus;
  • CONSCIENTIZAR de que Deus é amor e justiça.

INTERAÇÃO

Prezado(a) professor(a), na segunda lição estudaremos a respeito de como a Bíblia Sagrada mostra a existência de Deus para o homem moderno. Veremos que a existência de um único Deus, em três pessoas, é um dos pitares do Cristianismo. Que seus alunos(as) tenham a consciência de que o Todo-Poderoso existe, que criou todas as coisas e se revelou a nós pela sua vontade, Ele criou o homem e a mulher, e se revela de forma específica a nós mediante a sua Palavra. Nas Escrituras Sagradas encontramos o seu plano perfeito de Salvação para a humanidade. Que você estude a lição com afinco para que possa enfatizar, mediante os tópicos apresentados, acerca do único Deus e de sua revelação.

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

Professor(a), inicie a lição fazendo a seguinte pergunta: “Será que alguém tem uma desculpa para não crer em Deus?”. Incentive a participação de todos os alunos e ouça as respostas com atenção. Depois, explique que “na Bíblia, há uma resposta bem enfática: não. Deus se revelou de várias maneiras: por meio de sua criação, de sua Palavra e de seu Filho amado. Cada pessoa pode aceitar ou rejeitar Deus e sua verdade. Não se deixe enganar; quando chegar o dia do juízo, desculpas não serão aceitas! Comece hoje mesmo a dedicar sua adoração e devoção a Deus”. (Adaptado de Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. Rio de Janeiro: CPAD, 2004, p.1552).

TEXTO BÍBLICO

Salmos 19.1-4; Romanos 1.18-20.

Salmos 19

1 — Os céus manifestam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos.

2 — Um dia faz declaração a outro dia, e uma noite mostra sabedoria a outra noite.

3 — Sem linguagem, sem fala, ouvem-se as suas vozes.

4 — Em toda a extensão da terra, e as suas palavras, até ao fim do mundo. Neles pôs uma tenda para o sol.

Romanos 1

18 — Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda impiedade e injustiça dos homens que detêm a verdade em injustiça.

19 — Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou.

20 — Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder como a sua divindade, se entendem e claramente se veem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis.

COMENTÁRIO DA LIÇÃO

INTRODUÇÃO

A existência de um único Deus em três pessoas é um dos pilares do Cristianismo. A partir dessa premissa, tudo o que veremos na sequência depende do entendimento de que Deus existe, que criou todas as coisas e se revelou a nós pela sua vontade.

É o Senhor que dá origem à vida, organiza o mundo e tudo o que nele há. Ele também é o responsável pela criação do homem e da mulher, se revela de forma específica e nos apresenta em sua Palavra o plano da Salvação. Estudaremos nesta lição acerca desse Deus e de sua revelação.

I. DEUS E SUA EXISTÊNCIA

1. Deus existe. A fé cristã se baseia na certeza da existência de Deus. A Bíblia, em Gênesis 1.1, deixa claro não somente a existência dEle, mas igualmente o seu poder e a sua iniciativa por meio do ato da criação quando nem mesmo o tempo ainda era contado: “No princípio, criou Deus os céus e a terra”. Tudo o que vemos teve um começo, e isso se deu pela vontade divina. Nada no mundo surgiu do acaso, e para que não houvesse dúvidas acerca dessa realidade, Deus se “descortinou” a todos por meio de um processo inteligente, alcançável pelo entendimento humano, chamado revelação.

2. Uma revelação geral. O Deus Criador mostrou sua existência à humanidade por meio de sua criação, e essa revelação se baseia justamente na certeza de que os atos criativos dEle, ou seja, a sua obra, manifesta na natureza, têm a capacidade de, mesmo de forma limitada, mostrar que o homem e o mundo tiveram uma origem, que não são frutos de um acidente cósmico ou resultado de uma ação de forças impessoais. Apesar de a natureza comunicar parcialmente os planos do Criador para o homem, tal comunicação se torna limitada por força da ingerência do pecado na mente humana, impedindo que o homem consiga enxergar a ação de Deus na Criação.

É possível que o ser humano decida negar intelectualmente a Deus e sua existência. Romanos 1.18 fala que “do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda impiedade e injustiça dos homens que detêm a verdade em injustiça”. Paulo deixa claro que há pessoas que, deliberadamente, reconhecem a existência de Deus, mas preferem negá-la e transformá-la em algo injusto. Esses homens são “indesculpáveis” por decidirem usar seus intelectos para rejeitar o Criador e sua justiça (Rm 1.20). Não se trata da aceitação de uma ideia filosófica ou de uma discussão acadêmica, pois a rejeição ao reconhecimento da existência de Deus é o primeiro passo para a prática da injustiça.

3. Uma revelação específica. O homem comum, ainda que esteja sob efeito do pecado, não está isento de reconhecer que há um Deus que opera todas as coisas pela sua santa vontade e justiça. É possível ilustrar tal fato observando o caso dos habitantes da ilha de Malta, para onde Paulo e os demais prisioneiros náufragos foram levados por Deus. Para que se aquecessem do frio, os nativos da ilha, chamados por Lucas de “bárbaros”, acenderam uma grande fogueira para os náufragos por causa do frio e da chuva. Paulo recolhe alguns galhos e é picado por uma cobra venenosa, motivo pelo qual os habitantes da ilha concluem: “Certamente este homem é homicida, visto como, escapando do mar, a Justiça não o deixa viver” (At 28.4). Aqueles homens não conheciam o Deus revelado nas Escrituras, mas sabiam que há uma justiça divina que não deixa escapar dos seus atos aqueles que praticam o mal. Graças àquele evento, os habitantes da ilha de Malta puderam ouvir o Evangelho, pois Paulo foi livre por Deus da morte.

SUBSÍDIO I

Professor(a), inicie o tópico explicando que muitas obras de “Teologias Sistemáticas do passado tentaram classificar os atributos morais e a natureza de Deus. O Supremo Ser, não se revelou simplesmente para transmitir-nos conhecimentos teóricos a respeito de si mesmo. Pelo contrário: a revelação que Ele fez de si mesmo está vinculada a um desafio pessoal, a uma confrontação e a oportunidade de o homem reagir positivamente a essa revelação. Isso fica evidente quando o Senhor se encontra com Adão, Abraão, com Jacó, com Moisés, com Maria, com Pedro, com Natanael e com Marta. Juntamente com estas e muitas outras testemunhas (ver Hb 12.1), podemos testificar que estudamos a fim de conhecê-lo experimentalmente, e não somente saber a respeito dEle.” (HORTON, Stanley. Teologia Sistemática: Uma Perspectiva Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 1996, p.125).

II. IDEIAS ACERCA DA PESSOA DE DEUS

1. Ateísmo. Na história da humanidade, é possível ver que há uma divisão entre aqueles que creem que Deus existe e que criou todas as coisas e os que não acreditam na sua existência e nem no seu poder. A estes que não creem, denominamos de “ateus” — pessoas que discordam, em seus pensamentos e ações, da existência de um Ser poderoso e supremo, que fez todas as coisas e que intervém na história. Essa ideia de que não há Deus não é recente. O Salmo 53.1 mostra a seguinte verdade: “Disse o néscio no seu coração: Não há Deus”. A negação acerca da existência do Eterno começa no íntimo do homem, de maneira velada. A ideia da ausência divina é como uma semente que está em fase de germinação. Depois, o fruto dessa negação intelectual alcança as ações da pessoa, o que é demonstrado pelo salmista no mesmo versículo: “Têm-se corrompido e têm cometido abominável iniquidade”.

2. Panteísmo. O panteísmo é a ideia que mostra Deus como sendo participante de sua obra criada. Para o panteísta, o Senhor é tudo, e tudo é Ele. A Bíblia diz que Deus fez todas as coisas. Ela também diz que o Criador se utiliza de sua criação para mostrar um pouco do seu poder: “Os céus manifestam a glória de Deus e o firmamento anuncia as obras de suas mãos” (Sl 19.1). O salmista deixa claro que a criação e o seu Criador possuem uma conexão, mas não se misturam, da mesma forma que uma pintura não é o pintor, e sim uma obra deste. Diferente do ateu, o panteísta acredita que Deus se misturou com a sua criação, e dessa forma, os elementos da natureza e do universo são Deus também.

3. Deísmo. O deísmo se baseia na perspectiva de que Deus criou todas as coisas, sendo Ele o Todo-Poderoso. Entretanto, esse Deus limitou-se a criar o mundo e os homens, mas não interfere na história, deixando, portanto, as criaturas viverem à sua própria sorte, de acordo com o seu próprio entendimento. A partir dessa visão, os homens têm liberdade para fazer o que desejarem, pois, para eles, Deus não intervirá na história nem nas ações dessas pessoas. A intervenção divina, não existe para o deísmo, pois Deus não se importa mais com a sua criação. Já bastaria ter criado o mundo e os homens. É como se Deus fosse um pai ausente, que gerou um filho, mas deixa-o viver como desejar, com autonomia para tomar suas decisões sem se importar com a eternidade.

4. Teísmo. O teísmo é a perspectiva de que Deus existe, criou todas as coisas, e que se envolve diretamente em sua criação. Enquanto no deísmo Deus não intervém em nada, no teísmo Ele está presente, atuando de forma direta na história, revelando sua vontade e zelando pela sua criação. O teísmo rejeita o panteísmo por este tentar unir a criatura com o Criador, fazendo dos dois, um. Rejeita também o deísmo, pois Deus é presente na história intervindo nela. Também rejeita o ateísmo, pois entende que o Senhor existe e que sua existência pode ser evidenciada de diversas formas.

SUBSÍDIO II

Professor(a), pergunte aos alunos o que eles sabem a respeito das ideias acerca de Deus. Ouça os alunos com atenção e explique que o panteísmo é uma teoria na qual Deus é tudo e tudo é Deus. Segundo essa teoria, errônea, a natureza é o próprio Deus. Para o panteísmo não há distinção entre o Criador e a criatura.

CONCLUSÃO

Diante das diversas opções de classificar Deus e sua existência, a Bíblia Sagrada mostra claramente que não estamos sozinhos, que o Senhor existe e que é pela fé que podemos nos achegar a Ele: “Ora, sem fé é impossível agradar-lhe, porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus cria que ele existe e que é galardoador dos que o buscam” (Hb 11.6). Mesmo diante das nossas limitações para compreender, de forma completa, a revelação divina, podemos crer, pela fé, no Deus Vivo e Verdadeiro.

ESTANTE DO PROFESSOR

Comentário Bíblico Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 2003.

HORA DA REVISÃO

1. Em que se baseia a fé cristã?

A fé cristã se baseia na certeza da existência de Deus.

2. Em que se baseia a revelação geral?

Essa revelação se baseia justamente na certeza de que os atos criativos dEle, ou seja, a sua obra, manifesta na natureza, tem a capacidade de, mesmo de forma limitada, mostrar que o homem e o mundo tiveram uma origem, que não são frutos de um acidente cósmico ou resultado de uma ação de forças impessoais.

3. Cite três ideias acerca da pessoa de Deus apresentadas na lição.

Ateísmo, Panteísmo e Deísmo.

4. Em que se baseia o deísmo?

O deísmo se baseia na perspectiva de que Deus criou todas as coisas, sendo, portanto, Ele é o Todo-Poderoso. Entretanto, esse Deus limitou-se a criar o mundo e os homens, mas não interfere na história, deixando, portanto, as criaturas viverem à sua própria sorte, de acordo com o seu próprio entendimento.

5. Segundo a lição, qual é a perspectiva do teísmo?

O teísmo é a perspectiva de que Deus existe, criou todas as coisas, e que se envolve diretamente em sua criação.

Slide da lição bíblica BAIXA SLIDE

#CPAD #EscolaBíblica #LiçãoEbd #Jovens #Trimestre

SUA OPINIÃO É RELEVANTE, COMENTE

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Consulte mais informação

CLIQUE AQUI
Saiba mais, Clique aqui
EBD INTERATIVA
Olá! Seja bem-vindo (a)....

✏️🔍Acesse no Portal EBD Interativa: https://ebdinterativa.com.br/shopping

✅ Livros / Cursos / Slides / Certificados

Confira as ofertas de hoje...