fbpx

Dificuldades ao ler “O Novo Homem em Cristo”

Os argumentos favoráveis e os contrários à doutrina da perfeição cristã

Pr. Altair Germano convidado pela superintendência da EBD da IEADALPE para gravar o subsídio da lição 13 (adultos), que tem por título “O Novo Homem em Cristo”, afirma o seguinte “Me deparei com duas dificuldades ao ler e estudar o texto.

A primeira dificuldade se encontra na introdução da lição, que afirma: ” É possível alcançar a perfeição espiritual nesta vida? Do ponto de vista humano, não. Mas quando abrimos a Bíblia Sagrada, constatamos que tal perfeição não somente é possível, como também desejável e requerida de todo aquele que professa o nome de Deus”.

Ao meu ver, o texto passou a ideia de que a perfeição absoluta (ausência de pecado) nesta vida é possivel, afirmação esta que não se alinha com o ensino majoritário nas Assembleias de Deus, que não adotaram a posição wesleyana da perfeição cristã, que afirma a possibilidade de se atingir um ponto de perfeição (erradicação ou sujeição absoluta do pecado) ainda nesta vida. O contexto pentecostal assembleiano compreende que tal doutrina não é bíblica, nem realista, sendo contrária à experiência humana.

Para quem deseja conhecer melhor os argumentos favoráveis e os contrários à doutrina da perfeição cristã, indico as obras abaixo:

1. Favoráveis

– As Obras de Armínio, Jacó Armínio, CPAD, 2015, p. 333-335, v. 1;
– Explicação Clara da Perfeição Cristã, John Wesley , Imprensa Metodista, disponível em http://www.metodistavilaisabel.org.br/artig…/descricao2.asp…;
– Teologia Sistemática, Charles Finney, CPAD, 2010, p. 511-539;
– Conhecendo as Doutrinas da Bíblia, Myer Pearlman, Vida, 1987, p. 168-170.

2. Contrários

– Teologia Sistemática, Norman Geisler, CPAD, 2010, p. 473-486;
– Teologia Sistemática, Charles Hodge, Hagnos, 2001, p. 1205-1215;
– Teologia Sistemática, A. H. Strong, Hagnos, 2003, p. 618-624, v. 2;
– Teologia Sistemática: uma perspectiva pentecostal, J. Rodman Williams, Vida, 2011, p. 430-432;
– Teologia Sistemática: uma perspectiva pentecostal, Stanley M. Horton, CPAD, 1996, p. 407-412;
– Teologia Sistemática Pentecostal, Antonio Gilberto et al, CPAD, 2008, p. 363-365;
– Palestras em Teologia Sistemática, Henry Clarence Thiessen, IBR, 1987, p. 272-275;
– Teologia Sistemática, Louis Berkhof, Cultura Cristã, 1990, p. 494-496;
– Introdução à Teologia Sistemática, Eurico Bergstén, CPAD, 1999, p.222-223.

A segunda dificuldade no texto da lição se encontra no ponto I.3 (O Nascimento do Novo Homem), que afirma: “O batismo em águas só tem efeito salvador quando recebido por fé (Mc 16.16)”.

O batismo em águas não salva, é para os que já foram salvos. Não tem efeito salvador. A Declaração de Fé das Assembleias de Deus afirma: “O batismo não é salvação; somos salvos pela graça, mediante a fé. O perdão dos pecados está em conexão com o arrependimento que precede o batismo”. (p. 128)

Tive a oportunidade de conversar com o pastor e amigo Claudionor de Andrade (comentarista da lição) sobre as questões aqui pontuadas, cujo esclarecimento me passado será conhecido através de um vídeo, que em breve será postado por ele nas redes sociais.

Agradeço aqui de forma pública a atenção que recebi do nobre companheiro, cuja humildade, integridade e gentileza dispensa comentários.”

Fonte: Pr. Altair Germando, Facebook

COMENTÁRIOS

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: