Incentivo pastoral como fator decisivo do crescimento da Escola Dominical

0 114

A Escola Dominical desempenha papel de relevada importância na vida da Igreja. É inquestionável a sua contribuição na educação cristã, capaz de alcançar as mais variadas faixas etárias da membresia. A ED organizada e bem estruturada exerce grande influência na salvação e na formação do caráter cristão de seus alunos. Ela proporciona conhecimento das doutrinas bíblicas e aperfeiçoamento espiritual. O ensino é a mola principal da ED e sua eficácia depende da capacitação de seus professores e da frequência e assiduidade de seus alunos. E um fator decisivo na motivação daqueles que ensinam e recebem a instrução bíblica se processa por meio da atuação, participação, incentivo e exemplo demonstrados pelo pastor da Igreja.

O pastor é o líder espiritual vocacionado por Deus para apascentar o rebanho do Senhor. A defesa do verdadeiro evangelho e o ensino da doutrina bíblica constituem-se no propósito original da chamada ministerial: “Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo” (Ef 4.12).

Portanto, cabe ao pastor incentivar e motivar setores da Igreja que o possam auxiliar nesse mister. Sob esse aspecto, as atividades da ED merecem a atenção, o esmero e o cuidado pastoral. Uma ED de qualidade depende da participação e comprometimento pastoral. Portanto, as ações pastorais devem visar ao crescimento e à qualidade da ED.

Com esse propósito, ressaltamos abaixo alguns elementos fundamentais:

Valorização do Ensino: Não ensinar à Igreja equivale a deixá-la perecer. O pastor que não valoriza o ensino conduzirá um rebanho doente e suscetível a todo vento herético. Para motivar o ensino, é necessário despertar na igreja o desejo e a inclinação para aprender. Para alcançar esse propósito, é indispensável a realização de simpósios, seminários e conferências de educação cristã no âmbito da igreja local.

Os temas desses eventos devem ser essencialmente bíblicos e os preletores devem possuir notório conhecimento na área a ser abordada. O apelo, o incentivo e a motivação pastoral são fundamentais para o sucesso de tais atividades.

O pastor que preocupa-se apenas com a promoção de milagres e prosperidade torna-se responsável pelo ensino parcial das Escrituras e pelo desinteresse da igreja em aprender.A maior parte desses eventos não produzem arrependimento, confissão, regeneração ou santificação. Todo pastor que não tem apreço pelo conhecimento caminha pelo fanatismo religioso.

E esse comportamento é tanto reprovável como prejudicial à fé cristã. Na Igreja Primitiva, a direção era apontada pelo ensino contínuo da Palavra de Deus e as manifestações espirituais estavam sempre sujeitas ao ensino autorizado das Escrituras (1Tm 4.11, 6.2; 1Co 4.17; 2Ts 2.15).

Valorização da Escola Dominical: O pastor da Igreja deve enfatizar a importância da ED e priorizar suas atividades em todas as ocasiões possíveis. Ser o principal e maior motivador da educação cristã implica ações práticas e não evasivos discursos.

Ao pastor cabe a responsabilidade de ser aluno frequente, assíduo e pontual e assim servir de  exemplo ao rebanho. Ao pastor como administrador cabe prover a infraestrutura adequada para o bom funcionamento da ED. Salas de aula arejadas e equipadas, espaço para secretaria, recursos didáticos e pedagógicos entre outros demonstram interesse e preocupação pastoral com a ED.

Valorizar a ED também requer o estabelecimento de prioridade do ensino. Os horários preestabelecidos para as aulas não podem ser substituídos ou alterados em hipótese alguma.

Jamais a ED deve ser suspensa ou adiada para se promover ou priorizar outros eventos. O espaço da ED é sagrado e imexível.

Mesmo diante de outras atividades da igreja, o horário da ED deve manter-se inalterado.Enquanto o pastor manter a prioridade do estudo sistematizado e não autorizar a supressão ou adiamento das atividades de educação cristã, a membresia da igreja saberá valorizar o ensino e a importância da ED.

Valorização dos Professores: Outra preocupação do pastor incentivador da ED deve ser com a qualidade do ensino ministrado. A seleção de professores vocacionados e com unção para ministrar deve fazer parte do cuidado pastoral para com a educação cristã. Na escolha dos professores, é indispensável um prudente e atento exame da capacitação dos que são indicados. É imprescindível que os professores sejam idôneos e com reputação ilibada. Requer-se vida espiritual e bom testemunho, habilidade didática e pedagógica, conhecimentobíblico e teológico, comprometimento e responsabilidade, disposição e desejo de servir à causa do Mestre.

Para tanto, os cursos de capacitação e aperfeiçoamento para professores devem ser constantemente promovidos pelo pastor da Igreja. É preciso também possuir a mentalidade de que os recursos aplicados na qualificação dos professores são investimento para a melhoria e crescimento da ED. Ter ciência que o interesse dos alunos é despertado quando as lições são apresentadas com profundo conhecimento bíblico e didática adequada. Assim, o pastor não deve permitir improvisação no suprimento das necessidades das classes. E ainda deve exigir e fiscalizar avaliações periódicas do desempenho dos professores e do aproveitamento dos alunos.

Valorização do Material Didático: Para alcançar a excelência na educação cristã, seja no discipulado de novos membros, na educação infantil, bem como para educar adolescentes, jovens e adultos, a ED necessita observar o material didático e o currículo disponibilizado pela instituição oficial. Para que isto aconteça o pastor da Igreja deve destacar a importância e requerer o uso indispensável e obrigatório das revistas de aluno e periódicos que retratam a confissão de fé pentecostal adotada pelas Assembleias de Deus no Brasil. O uso do material apropriado facilita o processo ensino-aprendizagem e mantém a unidade doutrinária na Igreja.

Quando o pastor permite o uso de material didático diverso ao oficialmente disponível acaba promovendo um desserviço a ED.

Outros materiais que sistematizam o ensino bíblico, embora possuam qualidade teológica, não atendem a doutrina pentecostal professada pela Igreja.

Deste modo, é responsabilidade pastoral coibir possíveis atos de desprestígio ou desconsideração do material a disposição.

O pastor deve promover enaltecer e incentivar o uso do material apropriado. Com estação evita-se a introdução de heresias e previne-se os desvios doutrinários.

Percebe-se então, diante destas valorações o importantíssimo papel da ação pastoralpara o crescimento e o aumento do nível de qualidade da ED.

Ao promover a importância do ensino, ao priorizar a ED, ao reconhecer o valor dos professores e ao usar o currículo e material didático apropriado, o pastor da Igreja estimula e incentiva a membresia a frequentar a Escola Dominical. Por meio dessas ações, o pastor multiplica o número de alunos, resolve o problema de baixa frequência, elimina a evasão escolar e ainda cumpre sua função ministerial de capacitar e aperfeiçoar a Igreja.

Pastor Douglas Roberto de Almeida Baptista é líder da Assembleia de Deus de Missão no Distrito Federal e do Conselho de Educação e Cultura da CGADB. Ele é graduado em Teologia, Pedagogia e Filosofia; especialista em Docência; mestre em Ciência das Religiões e doutor em Teologia.

Artigo publicado na Revista Ensinador Cristão, ano 18, ed69, jan/fev/mar de 2017

Fonte: Escola Dominical

Facebook Comments
Comentários
Loading...
Assine a nossa newsletter
Inscreva-se aqui para receber as últimas notícias, slides e subsídios de EBD diretamente na sua caixa de e-mail.
Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento
ga('create', 'UA-138680066-1', 'auto', ); ga('require', 'displayfeatures'); ga('require', 'linkid', 'linkid.js'); ga('set', 'anonymizeIp', true); ga('send', 'pageview');
%d blogueiros gostam disto: