Slides editáveis, Aula dinâmica, Subsídios e materiais para fazer sua classe da EBD crescer mais. Tenha todo material necessário para a ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL

Lição 10: Desenvolvendo uma Consciência de Santidade

Comentário Exegético Leitura Bíblica em Classe – 1 Pedro 1:13-21

1 Pedro 1:13 – “Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios, e esperai inteiramente na graça que se vos há de oferecer na revelação de Jesus Cristo.” (ARA)

Palavras-chave em grego: * ζῶνες (zōnes) – cingir, atar. * σωφρονει̃τε (sōfronēite) – ser sóbrio, ter bom senso. * ἐλπίζετε (elpizate) – esperar, ter esperança.

Comentário exegético: 1 Pedro 1:13 serve como um chamado à ação para os crentes, instando-os a se prepararem para a volta de Jesus Cristo. Pedro utiliza três imperativos distintos para transmitir sua mensagem:

  1. “Cingindo os lombos do vosso entendimento” (ζῶνες τὰς οσφύας τῆς διανοίας ὑμῶν):** A metáfora de cingir os lombos era comum no mundo antigo para se preparar para o trabalho ou a batalha. No contexto do versículo, Pedro convida os crentes a se prepararem mentalmente para os desafios que virão. Isso significa ter clareza de pensamento, discernimento e firmeza na fé.
  2. “Sede sóbrios” (σωφρονει̃τε):** A sobriedade aqui vai além da abstinência de álcool. Significa ter domínio próprio, moderação e bom senso em todas as áreas da vida. O crente sóbrio não se deixa levar pelas emoções ou pelos desejos mundanos, mas age com sabedoria e prudência.
  3. “Esperai inteiramente na graça que se vos há de oferecer na revelação de Jesus Cristo” (ἐλπίζετε ἐπιτελῶς εἰς την χάριν την φερομένην ὑμῖν ἐν τῃ απεκαλύψει Ιησοῦ Χριστοῦ):** A esperança cristã é fundamental para a vida do crente. Ela não se baseia em circunstâncias ou méritos pessoais, mas na graça de Deus revelada em Jesus Cristo. Essa graça, que será plenamente manifestada na volta de Cristo, é a fonte de força e perseverança para o crente em meio às dificuldades.

Referências bíblicas:

  • Efésios 6:10-18: A armadura do cristão, que inclui o cinto da verdade (v.14), serve como metáfora para a preparação espiritual necessária para enfrentar os desafios da fé.
  • Filipenses 4:8: O apóstolo Paulo exorta os crentes a cultivarem pensamentos puros e nobres, que contribuem para a sobriedade e o bom senso.
  • Hebreus 10:23-25: A importância da perseverança e da esperança na volta de Jesus Cristo é enfatizada como um elemento crucial da fé cristã.

1 Pedro 1:14 – “Como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância.” (ARA)

Palavras-chave em grego: υίοι υπακοῦοι (huioi hupakouoi) – filhos obedientes. * μὴ συμμορφοῦμενοι ταῖς ἐπιθυμίαις ταῖς προτέραις τῆς ἀγνοιας ὑμῶν (mē summorphoumenoi taīs epithymiais tais proterais tēs agnoiās hymōn) – não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância.

Comentário exegético: 1 Pedro 1:14 continua a exortação iniciada no verso anterior, destacando a importância da obediência à Deus como característica fundamental da vida do crente. Pedro utiliza duas imagens vívidas para ilustrar seu ponto:

  1. “Filhos obedientes” (υίοι υπακοῦοι):** A metáfora da filiação divina enfatiza a relação íntima que os crentes têm com Deus. Como filhos, eles devem ser obedientes à vontade do Pai celestial. Essa obediência não é servil ou legalista, mas brota de um amor e uma gratidão genuínos por tudo que Deus fez por eles em Cristo Jesus.
  2. “Não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância” (μὴ συμμορφοῦμενοι ταῖς ἐπιθυμίαις ταῖς προτέραις τῆς ἀγνοιας ὑμῶν):** A vida antes da conversão ao cristianismo era caracterizada pela ignorância espiritual e pelas concupiscências da carne. Essas concupiscências, como desejos pecaminosos e paixões descontroladas, exerciam um forte domínio sobre a vida do indivíduo. No entanto, com a conversão, o crente recebe a luz do conhecimento de Deus e a força do Espírito Santo para resistir a essas tentações e viver uma vida santa.

Referências bíblicas:

  • Efésios 2:1-10: A descrição da vida antes da conversão como “mortos em ofensas e pecados” (v.1) e “andávamos outrora segundo o curso deste mundo” (v.2) corrobora a ideia de ignorância espiritual e submissão às concupiscências.
  • Gálatas 5:16-25: O contraste entre os frutos do Espírito (amor, alegria, paz, etc.) e as obras da carne (imoralidade, impureza, inveja, etc.) ilustra a transformação de vida que ocorre quando o crente se submete à vontade de Deus.
  • Romanos 12:1-2: O apóstolo Paulo convida os crentes a se transformarem pela renovação da mente e a não se conformarem com o padrão deste mundo.

1 Pedro 1:15 – “Mas, como é santo aquele que vos chamou, também vós sede santos em todo o vosso modo de viver.” (ARA)

Palavras-chave em grego: * ἅγιος (hagios) – santo. * καλέσας (kalesas) – chamou. * ἐν πάσῃ τῃ αναστροφῃ ὑμῶν (en pasēi tē anastrophēi hymōn) – em todo o vosso modo de viver.

Comentário exegético: 1 Pedro 1:15 apresenta um chamado à santidade como um imperativo para a vida do crente. Pedro utiliza três elementos para fundamentar essa exortação:

  1. “Como é santo aquele que vos chamou” (ἅγιος ὁ καλέσας ὑμᾶς):** A santidade de Deus é a base para a santidade do crente. Ele é o Santo por excelência, separado de todo pecado e imperfeição. Ao chamar os crentes para si mesmo, Deus os convida a participar de sua santidade, a se tornarem semelhantes a Ele em caráter e conduta.
  2. “Também vós sede santos” (καὶ ὑμεῖς ἅγιοι γένεσθε):** O chamado à santidade é direcionado a todos os crentes, sem distinção. Não se trata de um privilégio para alguns, mas de uma responsabilidade universal para todos aqueles que foram chamados por Deus. A santidade não é um estado inatingível, mas uma jornada contínua de crescimento espiritual e transformação de vida.
  3. “Em todo o vosso modo de viver” (ἐν πάσῃ τῃ αναστροφῃ ὑμῶν):** A santidade não se limita a áreas específicas da vida, mas deve permear todo o modo de viver do crente. Isso significa que os princípios divinos devem ser aplicados em todas as esferas da vida, desde as relações interpessoais até as decisões profissionais.

Referências bíblicas:

  • Levítico 11:44-45: Deus ordena ao povo de Israel que seja santo “porque eu sou santo” (v.45), estabelecendo um padrão de santidade que deve ser seguido por todos os que se relacionam com Ele.
  • Mateus 5:48: Jesus convida seus seguidores a serem “perfeitos, como vosso Pai celestial é perfeito” (v.48), elevando a santidade a um padrão ainda mais alto, baseado no amor e na misericórdia de Deus.
  • 2 Coríntios 7:1: O apóstolo Paulo exorta os crentes a “purificarem-se de toda imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santidade no temor de Deus” (v.1), enfatizando a importância da santidade como um processo contínuo de purificação e crescimento espiritual.

1 Pedro 1:16 – “Porque está escrito: Sede santos, porque eu sou santo.” (ARA)

Palavras-chave em grego: * ἅγιοι (hagioi) – santos. * ἐγὼ γὰρ ἅγιον (egō gar hagion) – porque eu sou santo.

Comentário exegético: 1 Pedro 1:16 conclui a exortação à santidade iniciada nos versos anteriores, apresentando a base escriturística para essa chamada: a santidade de Deus. Pedro utiliza uma citação de Levítico 11:45 para fundamentar sua argumentação: “Sede santos, porque eu sou santo”.

A Santidade de Deus:

  • Transcendência e Perfeição: A santidade de Deus o distingue de toda criação. Ele é transcendente, puro e perfeito, livre de qualquer mancha ou imperfeição. Sua santidade é absoluta e incomparável.
  • Fonte de Santidade: Deus é a fonte de toda santidade. Sua santidade não é apenas um atributo, mas a essência de quem Ele é. Ele é a norma absoluta de santidade, o padrão pelo qual todas as coisas devem ser medidas.

A Santidade do Crente:

  • Chamados à Santidade: Ao serem chamados por Deus, os crentes são convidados a participar de sua santidade. Isso significa que eles devem se afastar do pecado e se aproximar de Deus em santidade e justiça.
  • Transformação pela Graça: A santidade do crente não é alcançada por meio de seus próprios méritos, mas pela graça de Deus em Jesus Cristo. Através da fé e da obediência ao Espírito Santo, os crentes são transformados e capacitados a viver uma vida santa.
  • Reflexo da Santidade Divina: A santidade do crente deve se manifestar em todas as áreas da vida, desde os pensamentos e palavras até as ações e decisões. Ao viverem em santidade, os crentes refletem a glória de Deus no mundo e testificam de sua redenção em Cristo Jesus.

Significado do Verso:

  • Imperativo Moral: O verso 1 Pedro 1:16 apresenta um imperativo moral claro para os crentes: eles devem ser santos porque Deus é santo. Essa santidade não é opcional, mas uma exigência fundamental para aqueles que desejam ter um relacionamento genuíno com Deus.
  • Motivação para a Santidade: A santidade de Deus serve como a principal motivação para a santidade do crente. Ao contemplar a santidade perfeita e inabalável de Deus, os crentes são impulsionados a buscar a santidade em suas próprias vidas.
  • Promessa de Transformação: O verso também oferece uma promessa de transformação: aqueles que se esforçam para viver em santidade serão continuamente aperfeiçoados e santificados pela graça de Deus em Jesus Cristo.

1 Pedro 1:17 – “E, se invocais por Pai aquele que, com imparcialidade, julga segundo as obras de cada um, conduzi-vos em temor durante o tempo da vossa peregrinação.” (ARA)

Palavras-chave em grego: * πατέρα (patéra) – Pai. * ἀκριβῶς (akribōs) – com imparcialidade. * κατὰ τὰ έργα εκάστου (kata ta erga hekastou) – segundo as obras de cada um. * ἐν φόβω (en phobō) – em temor. * τὸν καιρὸν της παροικίας ὑμῶν (ton kairon tēs paroikias hymōn) – durante o tempo da vossa peregrinação.

Comentário exegético: 1 Pedro 1:17 apresenta um lembrete solene para os crentes: Deus, como Pai justo e imparcial, julga a todos de acordo com suas obras. Essa realidade deve motivar os crentes a viverem em temor durante o tempo da sua peregrinação na terra.

A Paternidade de Deus:

  • Fonte de Amor e Misericórdia: Deus é Pai amoroso e misericordioso que cuida de seus filhos com compaixão e graça. Ele deseja o bem-estar e a salvação de todos.
  • Justiça e Imparcialidade: Ao mesmo tempo, Deus é um juiz justo e imparcial que não faz distinção de pessoas. Ele julga com justiça e retidão, recompensando o bem e punindo o mal.

O Julgamento de Deus:

  • Baseado nas Obras: O julgamento de Deus se baseia nas obras de cada indivíduo. Não se trata de favoritismo ou nepotismo, mas de uma avaliação justa e imparcial das ações de cada pessoa.
  • Consequências Eternas: O julgamento de Deus tem consequências eternas. As escolhas que fazemos nesta vida determinam nosso destino na eternidade, seja no céu ou no inferno.

A Peregrinação dos Crentes:

  • Vida Temporária na Terra: Os crentes são peregrinos na terra, vivendo em um estado provisório até o retorno de Jesus Cristo.
  • Tempo de Crescimento e Preparação: Esse período de peregrinação serve como tempo de crescimento espiritual e preparação para o julgamento final.
  • Chamado à Santidade: A consciência do julgamento de Deus deve motivar os crentes a viverem em temor e santidade, buscando agradar a Deus em todas as suas ações.

Significado do Verso:

  • Responsabilidade Pessoal: O verso 1 Pedro 1:17 enfatiza a responsabilidade pessoal de cada crente diante de Deus. As ações de cada um serão julgadas com justiça e imparcialidade.
  • Motivação para a Santidade: A perspectiva do julgamento final deve servir como um poderoso motivador para os crentes viverem em santidade e temor a Deus.
  • Confiança na Graça de Deus: Ao mesmo tempo, o verso oferece um lembrete de que Deus é um Pai amoroso e misericordioso que perdoa aqueles que se arrependem e se voltam para Ele em fé.

1 Pedro 1:18 – “Sabendo que fostes resgatados não com coisas corruptíveis, como ouro ou prata, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro sem defeito e sem mácula.” (ARA)

Palavras-chave em grego: * λυτρώθητε (lytrōthēte) – fostes resgatados. * φθειρομένοις (phthiremenois) – corruptíveis. * χρυσῷ ὴ ἀργύρῳ (chrysōi hē argurōi) – ouro ou prata. * αἱμάτι ἀΐ́μνιου ἀμώμου καὶ ἀμίαντου Χριστοῦ (haimati aimniou amōmou kai amianthou Christou) – com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro sem defeito e sem mácula.

Comentário exegético: 1 Pedro 1:18 fornece uma das imagens mais ricas da Bíblia para descrever a redenção da humanidade: o resgate realizado pelo sangue sacrificial de Jesus Cristo. Pedro utiliza três elementos-chave para destacar a preciosidade e a suficiência desse resgate:

1. A Natureza do Resgate:

  • “Fostes resgatados” (λυτρώθητε): O verbo “resgatar” (lytrōthai) era utilizado no mundo antigo para se referir ao pagamento de um preço para libertar um escravo ou prisioneiro. No contexto do verso, indica que a humanidade estava escravizada pelo pecado e precisava ser libertada.
  • “Não com coisas corruptíveis” (φθειρομένοις): Pedro contrasta o resgate realizado por Jesus com os meios de redenção usados ​​na sociedade da época, como ouro ou prata. Esses metais, embora valiosos, são perecíveis e não podem pagar o preço do pecado.
  • “Com o precioso sangue de Cristo” (αἱμάτι ἀΐ́μνιου ἀμώμου καὶ ἀμίαντου Χριστοῦ): O sangue de Jesus é apresentado como o elemento central do resgate. O sangue simboliza vida, mas também expiação e redenção. No caso de Jesus, seu sangue foi derramado de forma sacrificial para pagar o preço do pecado da humanidade.

2. A Perfeição do Cordeiro:

  • “Como de um cordeiro sem defeito e sem mácula” (ἀμώμου καὶ ἀμίαντου): A imagem do cordeiro remete ao sistema sacrificial do Antigo Testamento, onde animais perfeitos eram oferecidos a Deus para expiar os pecados do povo. Jesus, como o “cordeiro de Deus” (João 1:29), é descrito como sem defeito e sem mácula, simbolizando sua pureza e perfeição absolutas.

Significado do Verso:

  • Redenção pela Fé: O verso 1 Pedro 1:18 enfatiza que a redenção da humanidade não é alcançada por meio de obras ou méritos pessoais, mas pela fé no sacrifício expiatório de Jesus Cristo.
  • Preço Infinito: O sangue de Jesus é descrito como “precioso” porque tem valor infinito, capaz de pagar o preço do pecado da humanidade, que é inestimável.
  • Nova Vida em Cristo: Ao serem resgatados pelo sangue de Cristo, os crentes recebem uma nova vida em Cristo, livre do poder do pecado e reconciliados com Deus.

1 Pedro 1:19 – “E, com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro sem defeito e sem mácula, fostes resgatados não somente das vãs maneiras de viver que vossos pais vos legaram, mas também da concupiscência da carne.” (ARA)

Palavras-chave em grego: * λυτρώθητε (lytrōthēte) – fostes resgatados. * αἱμάτι ἀΐ́μνιου ἀμώμου καὶ ἀμίαντου Χριστοῦ (haimati aimniou amōmou kai amianthou Christou) – com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro sem defeito e sem mácula. οὐχι μόνον απὸ των ματαίων αναστροφῶν της πατροπαραδότου ὑμῶν ζωῆς (ouchi monon apo tōn mataiōn anastrophōn tēs patropardotou hymōn zōēs) – não somente das vãs maneiras de viver que vossos pais vos legaram. ἀλλὰ καὶ απὸ της επιθυμίας της σαρκος (alla kai apo tēs epithymias tēs sarchos) – mas também da concupiscência da carne

Comentário exegético: 1 Pedro 1:19 expande a mensagem do verso anterior sobre a redenção realizada pelo sangue de Jesus Cristo. Pedro destaca dois aspectos importantes dessa redenção:

1. Libertação das Tradições Vãs:

  • “Fostes resgatados… das vãs maneiras de viver que vossos pais vos legaram” (οὐχι μόνον απὸ των ματαίων αναστροφῶν της πατροπαραδότου ὑμῶν ζωῆς): Pedro reconhece que os crentes gentios foram criados em tradições e costumes pagãos que não os conduziam à salvação. O sangue de Cristo os libertou dessas práticas inúteis e lhes proporcionou uma nova maneira de viver.
  • Importância da Transformação: A redenção não se limita à libertação do passado, mas também implica em uma transformação radical da vida presente. Os crentes são chamados a abandonar os velhos hábitos e viver de acordo com os princípios de Deus.

2. Libertação da Concupiscência:

  • “Fostes resgatados… da concupiscência da carne” (ἀλλὰ καὶ απὸ της επιθυμίας της σαρκος): A concupiscência da carne se refere aos desejos pecaminosos e paixões descontroladas que dominam a natureza humana caída. O sangue de Cristo também liberta os crentes do poder desses desejos, permitindo-lhes viver em santidade e pureza.
  • Luta Contínua: A libertação da concupiscência não significa que os crentes estejam livres de tentações. A luta contra os desejos pecaminosos é uma realidade constante na vida cristã. No entanto, os crentes têm a força de Deus e a ajuda do Espírito Santo para vencerem essas batalhas.

Significado do Verso:

  • Redenção Completa: O verso 1 Pedro 1:19 apresenta uma visão abrangente da redenção realizada por Jesus Cristo. Essa redenção não se limita apenas ao perdão dos pecados, mas também implica em libertação de práticas pecaminosas e da tirania dos desejos carnais.
  • Transformação de Vida: A redenção em Cristo é um processo contínuo de transformação de vida. Os crentes são chamados a viver de acordo com a nova identidade que receberam em Cristo, abandonando as práticas do passado e buscando a santidade em todos os aspectos da vida.
  • Gratidão e Obediência: A consciência da redenção realizada por Jesus Cristo deve motivar os crentes a viverem em gratidão a Deus e em obediência à sua vontade.

1 Pedro 1:20 – “Mas vós, Cristo foi precioso para vós, que sois crentes; mas para aqueles que não creem, a pedra que os edificadores rejeitaram, essa veio a ser cabeça de ângulo; pedra de tropeço e rocha de escândalo para eles, porque tropeçam na palavra, sendo desobedientes, para o que também foram destinados.” (ARA)

Palavras-chave em grego:

  • τίμιος ὑμῖν ὁ Χριστὸς (timios hymin ho Christos) – Cristo foi precioso para vós
  • πιστευοῦσιν (pisteuousin) – que sois crentes
  • λίθον ον απεδοκιμασαν οι οικοδομοι (lithos on apedokimasan oi oikodomoi) – a pedra que os edificadores rejeitaram
  • αυτος εγενετο εις κεφαλην γωνίας (autos egeneto eis kephalēn gōnias) – essa veio a ser cabeça de ângulo
  • λίθος προσκομματος και πετρα σκανδαλου (lithos proskommatos kai petra skandalou) – pedra de tropeço e rocha de escândalo
  • οις εις αυτο προσκοπτουσιν απίστουντες (ois eis auto proskoptousin apistountes) – para eles, porque tropeçam na palavra, sendo desobedientes
  • εις ὁ εις αυτο ετεθησαν (eis ho eis auto ethesan) – para o que também foram destinados

Comentário exegético: O verso 1 Pedro 1:20 apresenta uma metáfora intrigante para descrever o papel de Jesus Cristo na salvação: a pedra angular. Essa metáfora é desenvolvida em contraste com a rejeição de Jesus pelos líderes religiosos judeus.

1. O Valor Precioso de Cristo para os Crentes:

  • “Cristo foi precioso para vós, que sois crentes” (τίμιος ὑμῖν ὁ Χριστὸς): Pedro enfatiza o valor inestimável de Jesus Cristo para aqueles que creem nele. Cristo é descrito como “precioso”, um termo que indica algo de grande valor e importância.
  • Fé como Base da Compreensão: A compreensão do valor de Cristo está fundamentada na fé. Somente aqueles que creem em Jesus podem reconhecer sua verdadeira importância e significado.

2. A Rejeição de Cristo pelos Líderes Judeus:

  • “A pedra que os edificadores rejeitaram” (λίθον ον απεδοκιμασαν οι οικοδομοι): A metáfora da pedra angular se refere à pedra principal de uma construção, que une as paredes e garante a estabilidade da estrutura. No entanto, essa pedra foi rejeitada pelos líderes religiosos judeus, que não reconheceram Jesus como o Messias prometido.
  • Significiado da Rejeição: A rejeição de Jesus pelos líderes judeus representa a recusa da mensagem do evangelho e a consequente perda da salvação.

3. Jesus como Cabeça de Ângulo:

  • “Essa veio a ser cabeça de ângulo” (αυτος εγενετο εις κεφαλην γωνίας): Apesar de ter sido rejeitada, a pedra angular se tornou a peça mais importante da construção. Jesus, mesmo tendo sido crucificado pelos líderes judeus, se tornou a pedra fundamental da igreja e da salvação.
  • Significiado da Posição de Jesus: A posição de Jesus como cabeça de ângulo indica sua centralidade e importância no plano de Deus para a salvação. Ele é a base sobre a qual toda a fé e a vida cristã são construídas.

4. Consequências da Rejeição de Cristo:

  • “Pedra de tropeço e rocha de escândalo” (λίθος προσκομματος και πετρα σκανδαλου): Para aqueles que não creem, Jesus se torna “pedra de tropeço e rocha de escândalo”. Eles tropeçam na mensagem do evangelho e se recusam a aceitá-lo como Senhor e Salvador.
  • Desobediência e Destino: A rejeição de Jesus leva à desobediência à vontade de Deus e resulta no destino que lhes foi designado, que é a condenação eterna.
    (continuação do comentário exegético de 1 Pedro 1:20)

Significado do Verso:

  • Salvação pela Fé em Cristo: O verso 1 Pedro 1:20-21 enfatiza que a salvação só é possível pela fé em Jesus Cristo. Ele é a pedra fundamental sobre a qual a fé cristã se baseia, e aqueles que O rejeitam perdem a oportunidade de serem salvos.
  • Responsabilidade Individual: O verso também apresenta a ideia da responsabilidade individual diante de Deus. Cada pessoa tem a liberdade de crer ou rejeitar a mensagem do evangelho, mas essa escolha tem consequências eternas.
  • Mistério da Soberania Divina: A passagem menciona que aqueles que rejeitam a Cristo “para o que também foram destinados” (εις ὁ εις αυτο ετεθησαν). Essa frase toca em um mistério da soberania de Deus que nem sempre é totalmente compreensível. No entanto, a passagem principal enfatiza a liberdade de escolha e a responsabilidade individual.

1 Pedro 1:21 – “e por ele credes em Deus, que o ressuscitou dos mortos e lhe deu glória, para que a vossa fé e esperança estivessem em Deus” (ARC)

O verso 1 Pedro 1:21, em conjunto com o verso 20, apresenta uma mensagem poderosa sobre a salvação em Jesus Cristo e as consequências da incredulidade.

Pontos chave da conclusão:

  • Fé em Jesus como Única Fonte de Salvação: A passagem reforça a centralidade da fé em Jesus Cristo para a salvação. Somente aqueles que creem em Jesus e o aceitam como Senhor e Salvador podem ser salvos.
  • Responsabilidade Individual e Livre Arbítrio: Apesar do “destino” mencionado no verso 20, a ênfase principal recai sobre a responsabilidade individual e o livre arbítrio de cada pessoa em crer ou rejeitar a mensagem do evangelho.
  • Consequências Eternas da Escolha: A escolha de crer ou rejeitar Jesus Cristo tem consequências eternas. Os crentes recebem a vida eterna, enquanto os incrédulos enfrentam a condenação eterna.
  • Chamado à Evangelização: A consciência da importância da fé em Jesus motiva os crentes a compartilhar a mensagem do evangelho com aqueles que ainda não o conhecem, oferecendo-lhes a oportunidade de serem salvos.
  • Mistério da Soberania Divina: O verso 20 menciona o “destino” daqueles que rejeitam a Cristo, tocando no mistério da soberania de Deus. Apesar desse mistério, a mensagem principal é clara: a fé em Jesus Cristo é essencial para a salvação.

1 Pedro 1:21 serve como um lembrete constante da importância da fé em Jesus Cristo e da necessidade de compartilhar essa fé com o mundo. É um chamado à ação para que os crentes vivam uma vida digna do evangelho e proclamem a mensagem da salvação em Jesus Cristo a todos os que ainda não a ouviram.

 

Saiba mais em Gospel Trends
Autor: Costa, Silvio

 

 

Faça um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Consulte mais informação

CLIQUE AQUI
Olá! Como posso te ajudar hoje?
NOVIDADES DO DIA !!!
Olá! Seja bem-vindo (a)....

✏️🔍Acesse no Portal EBD Interativa: https://ebdinterativa.com.br/shopping

✅ Livros / Cursos / Slides / Certificados

Confira as ofertas de hoje...