fbpx

Pastor diz que Mangueira foi “profética” em sua releitura de Jesus

Argumentação de Ed René Kivitz recebeu inúmeras críticas. Por Michael Caceres

Ed René Kivitz. (Foto: Reprodução / Instagram)

O pastor Ed René Kivitz, da Igreja Batista de Água Branca, em São Paulo, usou o Instagram para defender a releitura esquerdista da Estação Primeira de Mangueira sobre Jesus Cristo.

No texto publicado na rede social, Ed René compara o samba-enredo da escola com uma composição de Luiz Gonzaga, que questiona a posição de Deus diante do sofrimento humano.

“Também a Mangueira perguntou onde está Deus enquanto o feminicídio aumenta, os racistas perdem escrúpulos, a homofobia espalha violência e a gente pobre e negra é assassinada dentro de sua própria casa”, argumenta.

Kivitz também afirma que “desde a Sapucaí ecoa uma resposta” e em seguida afirma que “Jesus está também na mulher violentada, nos LGBTI+ agredidos e desrespeitados, nas crianças cravejadas de balas”.

“Jesus” apanha da polícia (Foto: Reprodução/TV Globo)

 

A publicação foi criticada por evangélicos que consideraram que o pastor ignorou o ambiente, o propósito pelo qual Jesus veio a Terra e até mesmo a intenção da escola de samba, que sofreu forte influência socialista.

“Deus também não está na boca do teólogo liberal e politicamente correto que relativiza as Escrituras disseminando um ‘Evangelho’ palatável e customizado”, criticou um usuário.

Kivitz gostou da abordagem nada espiritual feita pela Mangueira, que reduziu Jesus a um militante social.

Fonte: Gospel Prime

- EBD INTERATIVA -

COMENTÁRIOS

×

Olá!

Clique em um de nossos representantes abaixo para conversar no WhatsApp ou envie um email para [email protected]

×