Dinâmica Jovens Lição 07: É Deus que dá o crescimento

Dinâmica: Cooperadores de Paulo

Professoras e professores, observem estas orientações:

1 – Antes de abordar o tema da aula, é interessante que vocês mantenham uma conversa informal e rápida com os alunos:

– Cumprimentem os alunos.

– Dirijam-se aos alunos, chamando-os pelo nome, para tanto é importante uma lista nominal para que vocês possam memorizar.

– Perguntem como passaram a semana.

– Escutem atentamente o que eles falam.

– Observem se há alguém necessitando de uma conversa e/ou oração.

– Verifiquem se há alunos novatos e/ou visitantes e apresentem cada um.

2 – Este momento não é uma mera formalidade, mas uma necessidade. Ao escutá-los, vocês estão criando vínculo com os alunos, eles entendem que vocês também se importam com eles.

Outro fator importante para estabelecer vínculos com os alunos é através das redes sociais, adicionem os alunos e mantenham comunicação com eles.

3 – Após a chamada, solicitem ao secretário da classe a relação dos alunos ausentes e procurem manter contato com eles durante a semana, através de telefone ou email ou pelas redes sociais, deixando uma mensagem “in box” dizendo que sentiu falta dele(a) na EBD).

Os alunos se sentirão queridos, cuidados, perceberão que vocês sentem falta deles. Dessa forma, vocês estarão estabelecendo vínculos afetivos com seus alunos.

4 – Escolham um momento da aula, para mencionar os nomes dos alunos aniversariantes, parabenizando-os, dando-lhes um abraço, oferecendo um versículo.

5 – Fazendo o que foi exposto acima, somando-se a um professor motivado, associando a uma boa preparação de aula, com participação dos alunos, vocês terão bons resultados! Experimentem!

6 – Agora, vocês iniciam o estudo da lição. Vejam estas sugestões:

Vocês já sabem que a aula expositiva ou Preleção é um método que está centralizado na oralidade por parte do professor. Entretanto, esta unilateralidade da exposição não é boa, tendo em vista que somente o professor fala e os alunos escutam, escutam, escutam… tendem a se dispersar e a aprendizagem fica comprometida.

Por isso, recomendo que vocês, busquem a participação dos alunos nas aulas.

Para isso é importante que você apresente estratégias que estimule a participação dos alunos, valorize o conteúdo, reforce as aplicações e facilite a aprendizagem. Portanto, para não perder de vista o alvo da lição, use a criatividade, apresente domínio da matéria e observe se os alunos estão entendendo o assunto. Só assim você saberá adaptar as sugestões apresentadas aqui.

– Apresentem o título da lição, escrevendo no quadro: É Deus que dá o crescimento.

– Em seguida, trabalhem os pontos levantados na lição.

Para exemplificar o item III, apliquem a dinâmica “Cooperadores de Paulo”.

Tenham uma excelente e produtiva aula!

Dinâmica: Cooperadores de Paulo

Objetivo: Refletir sobre a importância da liderança e os cooperadores.

Material:

Muitos objetos de tamanhos e pesos variados

Procedimento:

– Entreguem todos os objetos uma pessoa da sala.

– Peçam para que esta pessoa comece a andar. Observem a dificuldade de conduzir todos eles.

– Agora, chamem 02 alunos, que deverão ajudar o colega que está sobrecarregado. Observem esta nova situação: a divisão de algo com os colegas.

– Façam uma reflexão sobre a atividade, apontando para a importância do líder necessitar de outros para poder trabalhar de forma exitosa.

– Moisés também precisou de colaboradores que tinham propósitos comuns.

Peçam para que 01 aluno levante os braços e quando estiver cansado, 02 colegas devem ajudá-lo, de acordo com o texto bíblico abaixo:

“E acontecia que, quando Moisés levantava a sua mão, Israel prevalecia; mas quando ele abaixava a sua mão, Amaleque prevalecia. Porém as mãos de Moisés eram pesadas, por isso tomaram uma pedra, e a puseram debaixo dele, para assentar-se sobre ela; e Arão e Hur sustentaram as suas mãos, um de um lado e o outro do outro; assim ficaram as suas mãos firmes até que o sol se pôs” (Ex17. 11 e 12).

– Paulo, o líder, precisou de dois cooperadores, Timóteo e Tito, preparados e capacitados para o serviço. Sigamos pois este exemplo(Fp  2. 19 e 25).

Por Sulamita Macedo.

Postado por Sulamita Macêdo às 11.5.21 0 comentários

Marcadores: Subsídio Pedagógico Jovens – 2021

Pré-adolescentes – Quem é Deus

Lição 07: Quem responde orações

Professoras e professores, observem estas orientações:

1 – Antes de abordar o tema da aula, é interessante que vocês mantenham conversa informal e rápida com os alunos:

– Cumprimentem os alunos.

– Dirijam-se aos alunos, chamando-os pelo nome, para tanto é importante uma lista nominal para que vocês possam memorizar.

– Perguntem como passaram a semana.

– Escutem atentamente o que eles falam.

– Observem se há alguém necessitando de uma conversa e/ou oração.

– Verifiquem se há alunos novatos e/ou visitantes e apresentem cada um.

2 – Este momento não é uma mera formalidade, mas uma necessidade. Ao escutá-los, vocês estão criando vínculo com os alunos, eles entendem que vocês também se importam com eles.

Outro fator importante para estabelecer vínculos com os alunos é através das redes sociais, adicionem os alunos e mantenham comunicação com eles.

3 – Após a chamada, solicitem ao secretário da classe a relação dos alunos ausentes e procurem manter contato com eles durante a semana, através de telefone ou email ou pelas redes sociais, deixando uma mensagem “in box” dizendo que sentiu falta dele(a) na EBD).

Os alunos se sentirão queridos, cuidados, perceberão que vocês sentem falta deles. Dessa forma, vocês estarão estabelecendo vínculos afetivos com seus alunos.

4 – Escolham um momento da aula, para mencionar os nomes dos alunos aniversariantes, parabenizando-os, dando-lhes um abraço, oferecendo um versículo.

5 – Fazendo o que foi exposto acima, somando-se a um professor motivado, associando a uma boa preparação de aula, com participação dos alunos, vocês terão bons resultados! Experimentem!

6 – Agora, vocês iniciam o estudo da lição. Vejam estas sugestões:

Vocês já sabem que a aula expositiva ou Preleção é um método que está centralizado na oralidade por parte do professor. Entretanto, esta unilateralidade da exposição não é boa, tendo em vista que somente o professor fala e os alunos escutam, escutam, escutam… tendem a se dispersar e a aprendizagem fica comprometida.

Por isso, recomendo que vocês, busquem a participação dos alunos nas aulas.

Para isso é importante que você apresente estratégias que estimule a participação dos alunos, valorize o conteúdo, reforce as aplicações e facilite a aprendizagem. Portanto, para não perder de vista o alvo da lição, use a criatividade, apresente domínio da matéria e observe se os alunos estão entendendo o assunto. Só assim você saberá adaptar as sugestões apresentadas aqui.

– Ao trabalhar o conteúdo da lição, lembrem-se de que vocês devem oportunizar a participação do aluno, envolvendo-o através de exemplos e situações próprias de sua idade. Dessa forma, vocês estão contextualizando o tema com a vida do aluno, além de promover uma aprendizagem mais significativa.

– Falem: Nesta lição vamos estudar sobre Deus – aquele que responde as orações.

– Peçam para que os alunos relatem resposta de oração deles mesmos ou de alguém da família.

– Em seguida, trabalhem os pontos levantados na lição.

Ao trabalhar o conteúdo da lição, lembrem-se de que vocês devem oportunizar a participação do aluno, envolvendo-o através de exemplos e situações próprias de sua idade. Dessa forma, vocês estão contextualizando o tema com a vida do aluno, além de promover uma aprendizagem mais significativa.

Quando vocês estiverem trabalhando sobre a oração que Jesus ensinou aos seus discípulos, utilizem a dinâmica “Ensinando a Orar”.

Tenham uma excelente e produtiva aula!

Dinâmica: Ensinando a Orar

Objetivo: Explicar cada parte da Oração do Pai Nosso.

Material:

Oração que Jesus ensinou “O Pai Nosso”, dividido por versículo, isto é, cada versículo em uma folha com letras grandes.

Procedimento:

– Falem: Jesus ensinou aos discípulos a orar com o exemplo da oração do Pai Nosso.

– Perguntem: Quem sabe a oração do Pai Nosso?

– Que tal fazermos esta oração, agora?

Então, deixem que os alunos repitam esta oração sem ler.

– Depois perguntem: Vocês entendem o que quer dizer cada parte desta oração?

– Falem: Muitas pessoas repetem esta oração de forma mecânica sem entender o significado de cada parte.

– Vamos agora, estudar sobre esta oração ensinada por Jesus que encontramos em Mt 6. 9 a 13:

“Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome;

Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu;

O pão nosso de cada dia nos dá hoje;

E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores;

E não nos conduzas à tentação; mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém”.

– Depois, entreguem para 5 alunos um versículo que compõe a Oração do Pai Nosso.

O aluno que está com o versículo inicial ler e depois coloca no quadro para e vocês começam a explicar cada parte. Isto deve acontecer o último versículo.

– Falem: Jesus não falou para que a repetíssemos como a maioria faz, mas deu um exemplo de como orar.

– Leiam Mt 6. 7a: “E, orando, não useis de vãs repetições…”

– Falem: Agora, vocês já sabem como orar!

Por Sulamita Macedo.

Fonte: Atitude de Aprendiz

COMENTÁRIOS

Chat
Precisa de ajuda?
EBD INTERATIVA
Olá!
Como podemos ajudar?
%d blogueiros gostam disto: