fbpx

Lição 4: O drama de Jó

Data: 25 de Outubro de 2020

VÍDEO DE APOIO

Notas de Aula — Lição 4.

TEXTO ÁUREO

E disse: Nu saí do ventre de minha mãe e nu tornarei para lá; o SENHOR o deu e o SENHOR o tomou; bendito seja o nome do SENHOR” (Jó 2.21).

VERDADE PRÁTICA

A despeito das grandes provações que se abatem em nossa vida, à luz do exemplo de Jó, devemos permanecer fiéis ao Senhor.

LEITURA DIÁRIA

Segunda — Jó 1.13-15

A tragédia se abateu sobre Jó — Primeiro anúncio

Terça — Jó 1.16

A tragédia se abateu sobre Jó — Segundo anúncio

Quarta — Jó 1.17

A tragédia se abateu sobre Jó — Terceiro anúncio

Quinta — Jó 1.18,19

A tragédia sobre a família de Jó — Quarto anúncio

Sexta — Jó 1.20-22

Primeira reação de Jó diante da tragédia

Sábado — Jó 2.6-8

Satanás e a saúde de Jó

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Jó 1.13-22; 2.6-8.

Jó l

13 — E sucedeu um dia, em que seus filhos e suas filhas comiam e bebiam vinho na casa de seu irmão primogênito,

14 — que veio um mensageiro a Jó e lhe disse: Os bois lavravam, e as jumentas pasciam junto a eles;

15 — e eis que deram sobre eles os sabeus, e os tomaram, e aos moços feriram ao fio da espada; e eu somente escapei, para te trazer a nova.

16 — Estando este ainda falando, veio outro e disse: Fogo de Deus caiu do céu, e queimou as ovelhas e os moços, e os consumiu; e só eu escapei, para te trazer a nova.

17 — Estando ainda este falando, veio outro e disse: Ordenando os caldeus três bandos, deram sobre os camelos, e os tomaram, e aos moços feriram ao fio da espada; e só eu escapei, para te trazer a nova.

18 — Estando ainda este falando veio outro e disse: Estando teus filhos e tuas filhas comendo e bebendo vinho, em casa de seu irmão primogênito,

19 — eis que um grande vento sobreveio dalém do deserto, e deu nos quatro cantos da casa, a qual caiu sobre os jovens, e morreram; e só eu escapei, para te trazer a nova.

20 — Então, Jó se levantou, e rasgou o seu manto, e rapou a sua cabeça, e se lançou em terra, e adorou,

21 — e disse: Nu saí do ventre de minha mãe e nu tornarei para lá; o SENHOR o deu e o SENHOR o tomou; bendito seja o nome do SENHOR.

22 — Em tudo isto Jó não pecou, nem atribuiu a Deus falta alguma.

Jó 2

6 — E disse o SENHOR a Satanás: Eis que ele está na tua mão; poupa, porém, a sua vida.

7 — Então, saiu Satanás da presença do SENHOR e feriu a Jó de uma chaga maligna, desde a planta do pé até ao alto do cabeça.

8 — E Jó, tomando um pedaço de telha para raspar com ele as feridas, assentou-se no meio da cinza.

HINOS SUGERIDOS

153, 342 e 440 da Harpa Cristã.

OBJETIVO GERAL

Mostrar que Jó manteve sua fidelidade a Deus.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.

  • I. Revelar de que forma as tragédias que se abateram sobre Jó atingiram seus bens;
  • II. Explicar de que forma Jó teve sua família destroçada pelos ventos;
  • III. Demonstrar de que forma Jó teve sua saúde física e mental abalada.

INTERAGINDO COM O PROFESSOR

Nesta lição veremos a calamidade que se abateu sobre a vida de Jó. A partir desse drama temos a oportunidade de refletir a respeito do sofrimento e o modelo de comportamento que o cristão deve ter para a própria vida diante das adversidades. A realidade de Jó, muitas vezes, pode tornar-se um espelho na vida de muitos cristãos. O que nos deve levar a reagir conforme o que o Senhor Jesus ensinou aos seus discípulos. Em nenhum momento nosso Senhor negou que teríamos sofrimento na vida. Nesse aspecto, a grande diferença entre quem tem confiança em Cristo está na forma que se passa pelo caminho do sofrimento. Assim, Jó é um grande exemplo de fé e paciência para os cristãos.

COMENTÁRIO

INTRODUÇÃO

A provação de Jó fez com que sua vida se tornasse um verdadeiro drama. Nem mesmo os mais aclamados cineastas seriam capazes de dramatizar algo semelhante. Da condição de homem mais rico e admirado do Oriente, ele tornou-se, não apenas um pobre moribundo, mas, na visão de seus amigos, “um pecador revoltado e arrogante”.

De uma vida abastada, piedosa e fraternalmente estruturada, Jó mergulhou em um mar de calamidades. De repente tudo se desmoronou. Os rebanhos foram roubados e dizimados; os empregados foram assassinados e, outros, mortos em desastres aparentemente naturais; os filhos, seu bem mais precioso, morreram. Cenas difíceis de esquecer! Refletir sobre como Jó reagiu a tudo isso é o objetivo dessa lição.

PONTO CENTRAL

O sofrimento se abate sobre o justo.

I. TRAGÉDIA DE NATUREZA ECONÔMICA

1. O sucesso na esfera comercial. O autor sagrado já havia sublinhado que Jó era “maior de todos os do Oriente” (Jó 1.3). O respeito, a admiração, a riqueza e a prosperidade do homem de Uz contribuíram para a construção dessa imagem. O autor já havia destacado a riqueza e a prosperidade de Jó, medidas pela grande quantidade de animais e servos a serviço dele. O comércio e a atividade do campo eram suas principais atividades. Devido à sua grande riqueza, não são poucos os autores que igualam Jó a grandes industriais e empresários contemporâneos. Enquanto as ovelhas proporcionavam lã para a produção têxtil, por outro lado os camelos e jumentas estavam a serviço do transporte de cargas. Dessa forma, Jó se destacava no Oriente como um homem de negócios.

2. O sucesso na esfera do campo. A atividade do campo era, sem dúvida, o principal negócio de Jó. O fato de que ele tinha tantas juntas de bois a seu serviço demonstra que ele era um agricultor que possuía uma grande extensão de terras, e não um nômade como alguns autores supõem. Estudiosos destacam o fato de que a palavra hebraica ’abuddah, encontrada somente em Jó e em Gênesis 26.14, é uma referência direta à lavoura e ao cultivo da terra. Os bois, e da mesma forma as ovelhas, ofereciam a proteína animal. As ovelhas, juntamente com as jumentas, alimentavam a produção de laticínios. Isso fazia de Jó um verdadeiro empreendedor no sentido moderno do termo.

3. O ataque do Diabo na esfera comercial. Satanás atingiu o centro das atividades comerciais do patriarca. O Adversário procurou retirar aquilo que, graças ao trabalho duro, Jó havia conquistado. Assim, destruiu os animais e o pessoal a serviço dele, desestabilizando-o financeiramente. Seu negócio foi à bancarrota. Sem animais de carga, o transporte estava prejudicado.

4. O ataque do Diabo na esfera do campo. Da mesma forma que atingiu os negócios de Jó na esfera comercial, Satanás o atingiu também na esfera do campo. Destruindo a sua fonte de produção de proteínas e laticínios, o Diabo atingiu em cheio toda a fonte de sua riqueza. Era preciso muito equilíbrio para não se desesperar diante de um quadro tão sombrio.

Aqui é necessário fazer uma ponderação. Evidentemente que nem sempre o empreendimento de alguém quebra por investidura de uma ação maligna direta; muitas vezes é apenas um mau gerenciamento ou até mesmo consequência de uma crise de mercado. Todavia, no caso de Jó, foi uma ação maligna e em muitos casos hoje também o é.

SÍNTESE DO TÓPICO (I)

A tragédia de natureza econômica atingiu Jó tanto na esfera comercial quanto na esfera do campo.

SUBSÍDIO DIDÁTICO—PEDAGÓGICO

Como introdução a esta lição, sugerimos que você faça um breve resumo para a classe a respeito dos aspectos gerais do sofrimento de Jó, como físico, social, emocional e espiritual. Para isso, considere este pequeno fragmento textual: “O sofrimento de Jó era multifacetado. Era físico, social, emocional e espiritual. Estava em dor e tormento (13.25; 16.6; 30.17) e tinha grandes dificuldades (’amal, ‘tristeza’, ‘desgraça’, 3.10; palavra também usada em 4.8; 5.6,7; 11.16; 15.35). No âmbito físico, teve insônia (7.4), perdera peso (16.8), ficou com os olhos vermelhos e olheiras profundas (v.16), emagreceu (17.7; 19.20), tinha calafrios (21.6), dores nos ossos (30.17), a pele enegrecera e descascara (vv.28,30), tinha febre (v.30) e furúnculos que coçavam (2.7). Socialmente, as pessoas o rejeitaram. Zombavam e escarneciam (12.4; 16.10; 17.2,6), e até as crianças debochavam dele (30.1,9-11). Por isso, não tinha alegria (9.25; 30.31). Na sua angústia e amargura (7.11; 10.1), sentia que estava na escuridão (19.8; 30.26) e em desespero (6.14,20). Todos os amigos e parentes o abandonaram (19.17-29). Diante de Deus, Jó estava espiritualmente sem esperança (14.13; 19.10). Deus estava parado e aparentemente desinteressado em Jó (19.7; 30.20), embora o sofredor clamasse por ajuda (30.24,28)” (ZUCK, Roy B. Teologia do Antigo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2018, p.300).

II. TRAGÉDIA DE NATUREZA FAMILIAR

1. Filhos. A tragédia que se abateu sobre Jó foi de fato catastrófica. Ele perdeu em um só dia seus dez filhos de forma calamitosa — sete filhos e três filhas. O texto sagrado diz: “Estando teus filhos e tuas filhas comendo e bebendo vinho, em casa de seu irmão primogênito, eis que um grande vento sobreveio dalém do deserto, e deu nos quatro cantos da casa, a qual caiu sobre os jovens, e morreram” (vv.18,19). Não haveria nada mais trágico do que esse acontecimento. Perder um filho é calamitoso, mas perder todos de forma inexplicável é nefasto.

2. Esposa. A frase “Amaldiçoa a Deus e morre” (Jó 2.9), atribuída à esposa de Jó, é uma das mais chocantes do livro. Talvez por isso seja objeto de várias explicações. Muitos autores tentam suavizá-la quando a interpretam como sendo uma ironia feita pela esposa de Jó. Nesse caso ela, de fato, estaria dizendo: “Você continua aí com essa sua fé enquanto tudo desmorona à sua volta. Por que tudo isso? Deixe de lutar por isso e aceite a morte”.

Outros procuram atribuir um sentido ao texto o qual ele não tem. Para estes, a esposa de Jó não estava mandando amaldiçoar a Deus, mas orientando Jó a louvá-lo e morrer em paz. No entanto, as evidências do texto depõem contra esse entendimento. A reação de Jó, ao dizer que sua esposa falava como qualquer louca, confirma esse fato.

3. O fato. Um vento forte soprou sobre a família de Jó, devastando-a. Ainda hoje, “fortes ventos” continuam a “soprar” em famílias inteiras. O resultado desses “ventos” é a degradação familiar, divórcios, drogas etc. A exemplo de Jó, o crente deve se refugiar em Deus. É preciso que a família abra a Bíblia em casa e busque o Senhor em estudo e devoção.

SÍNTESE DO TÓPICO (II)

Jó perdeu dez filhos em um só dia e sua esposa instou-lhe a abandonar a fé em Deus.

SUBSÍDIO BÍBLICO—TEOLÓGICO

“Seus bens mais queridos e mais valiosos era os seus dez filhos; e, para concluir a tragédia, uma notícia lhe foi trazida ao mesmo tempo de que eles estavam mortos e enterrados em meio às ruínas da casa na qual festejavam, junto com os criados que os serviam, exceto um que veio rapidamente com essa notícia (vv.18,19). Esta foi a maior das perdas de Jó, e que o atingiu mais de perto: e por isso o Diabo a reservou para o final, para que se outras contrariedades falhassem, esta pudesse fazê-lo amaldiçoar a Deus. Nossos filhos são partes de nós mesmos; é muito difícil separar-nos deles, e isso fere um bom homem de maneira mais profunda possível. Mas separar-se de todos eles de uma vez, e o fato de estarem todos mortos, sim, aqueles que haviam sido por tantos anos a sua preocupação e a sua esperança, era algo que o atingia realmente no âmago do seu ser” (HENRY, Matthew. Comentário Bíblico Antigo Testamento:Jó a Cantares de Salomão. Rio de Janeiro: CPAD, 2010, p.10).

III. TRAGÉDIA DE NATUREZA FÍSICA E PSICOLÓGICA

1. O Diabo toca na saúde de Jó. Depois que o Diabo viu o seu plano fracassar, pois o patriarca não sucumbiu à tentação, mesmo diante da dizimação de seus bens e familiares, o Adversário agora tem a permissão divina para tocar na saúde de Jó. Essa nova prova é um drama muito distinto na literatura do Antigo Testamento. Ela dará a tônica ao restante do livro.

2. Saúde física. O texto sagrado diz que o Diabo “feriu a Jó de uma chaga maligna, desde a planta do pé até ao alto da cabeça.” (Jó 2.6,7). Tratava-se de uma doença extremamente maligna, capaz de provocar um grande sofrimento em Jó, a ponto de este sentar-se nas cinzas e pegar um caco de barro para com ele raspar as feridas. Essa era uma prática que o homem antigo adotava quando se via acometido de uma grande desgraça. Ele ia para o monte de cinzas (hb. mazbala), um local considerado imundo, onde os inválidos e dementes costumavam ficar. Ali ele esperava a morte entre cães, insetos e aves de rapina. Trágico!

3. Saúde mental. Não há dúvida que, além do sofrimento físico, Jó também experimentou o sofrimento psicológico. Embora não haja nada no texto que nos permita dizer que ele entrou em depressão, não há como negar que Jó passou por uma grande tensão psicológica. Há vários textos no corpo do livro que permite fazer essa dedução, mas já no início da sua fala é possível perceber esse fato (Jó 3.1-14). Ainda que mantivesse sua fidelidade a Deus, o patriarca amaldiçoou o dia de seu nascimento, não vendo mais razão para que fosse celebrado. Só debaixo de forte pressão psicológica é que pessoas chegam a tal ponto.

SÍNTESE DO TÓPICO (III)

Além de perder bens e familiares, a tragédia atingiu a saúde física e mental de Jó.

SUBSÍDIO BÍBLICO—TEOLÓGICO

“[…] Foi o patriarca constrangido a suportar as dores mais terríveis e os piores desconfortos a que um ser humano jamais fora submetido. Entretanto, reteve a sua integridade. Muitos são os servos de Deus que estão a sofrer as mais terríveis enfermidades. Uns, à semelhança de Ezequias, enfrentam um tumor maligno que, pouco a pouco, vão lhes consumindo as forças e o que lhes resta das humanas feições. Outros, como Lázaro da história narrada pelo Senhor Jesus, jazem cobertos de uma chaga que os tornam repulsivos, embora espiritualmente sejam os mais puros dos homens. Outros, ainda, tal como o jovem Timóteo, veem-se às voltas com uma doença no estômago que os fustiga com forte ânsias” (ANDRADE, Claudionor de. Jó:O problema do sofrimento do justo e o seu propósito. Rio de Janeiro: CPAD, 2002, p.85).

CONCLUSÃO

Nesta lição vimos o drama de Jó, que foi provado de uma forma dura no seu trabalho, família e saúde. Somente um homem com uma fé inabalável mantém sua lucidez diante de tantas catástrofes. Somente o Senhor pode manter o fiel de pé diante de calamidades dessa natureza. O Diabo chegou ao ponto máximo de pressão contra Jó, mas não conseguiu executar o seu intento. O patriarca permaneceu de pé diante da provação.

VOCABULÁRIO

Eufemismo: Palavra, locução ou acepção mais agradável, de que se lança mão para suavizar ou minimizar o peso literal de outra palavra.

PARA REFLETIR

A respeito de “O Drama de Jó”, responda:

Como eram medidas a riqueza e prosperidade de Jó?

Eram medidas pela grande quantidade de animais e servos a serviço de Jó.

Qual era o principal negócio de Jó?

A atividade do campo era, sem dúvida, o principal negócio de Jó.

Jó perdeu quantos filhos em um só dia?

Dez filhos.

Após tocar nos bens e na família de Jó, em qual área o Diabo tem permissão para tocar?

O Adversário tem a permissão divina para tocar na saúde de Jó.

Segundo a lição, qual sofrimento Jó experimentou além do físico?

Não há dúvida, que além do sofrimento físico, Jó também experimentou o sofrimento psicológico.

SUBSÍDIOS ENSINADOR CRISTÃO

O DRAMA DE JÓ

Não há nada semelhante ao que foi descrito no Livro de Jó. Trata-se de uma calamidade de proporções inimagináveis sobre o indivíduo. De um homem rico e admirável, Jó tornou-se pobre; de uma família sólida, a uma família dizimada; de homem saudável, a um homem gravemente enfermo. Toda a vida de Jó foi mergulhada num mar de calamidades sem precedentes.

Resumo da lição

Objetivo geral desta lição é mostrar o drama de Jó e, ao mesmo tempo, sua fidelidade a Deus. Três são os objetivos específicos na lição a fim de atingir o objetivo geral.

O primeiro, revelar de que forma as tragédias que se abateram sobre Jó atingiram seus bens. Para isso, o primeiro tópico descreverá o sucesso de Jó na esfera comercial, mostrando o quanto ele era bem sucedido nessa esfera. Também mostrará o sucesso do patriarca na esfera do campo, o número de animais e produção agrícola. Em seguida, há a descrição da ação de Satanás na destruição de todas as riquezas de Jó. O sofrimento acabara de bater às portas do homem de Uz.

O segundo objetivo específico, explicar de que forma Jó teve sua família destroçada pelos ventos. Para isso, o segundo tópico descreve a perda dos seus dez filhos. Um fato catastrófico. Depois, o fato de a sua esposa, devastada pelos acontecimentos, pedir que Jó desistisse da vida. O desespero e aflição predominavam no interior daquela mulher.

O terceiro objetivo específico, demonstrar de que forma Jó teve sua saúde física e mental abalada pelos fatos que lhe sucederam. Razão pela qual o último tópico mostra o toque do Diabo na saúde de Jó. O patriarca de Uz teve tanto sua saúde física quanto mental atingida. O que fica claro que, diante do sofrimento, o ser humano inteiro é atingido. Portanto, sim, o livro nos mostra que o sofrimento se abate sobre o justo.

Aplicação

Ao final desta lição, podemos fazer uma reflexão com a classe quanto à exposição de todo cristão ao sofrimento. É importante mostrar aos alunos que os cristãos não vivem numa espécie de “bolha”, em que nada desagradável acontece com eles. Infelizmente, devido a população de teologias triunfalistas, muitos pensam que o cristão não pode ter doenças no corpo, na alma ou prejuízos financeiros. Nesse sentido, a Palavra de Deus esclarece quanto a realidade do cristão no mundo.

 

Fonte: Estudantes da Bíblia

 

 

COMENTÁRIOS

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: